Ariel Nicholson faz história como primeira modelo trans na capa da Vogue

A edição de setembro da Vogue fará história. A revista norte-americana escolheu oito modelos para a capa da edição mais esperada do ano — incluindo Ariel Nicholson, a primeira estrela de capa abertamente trans.

A modelo de 20 anos posou ao lado de Anok Yai, Bella Hadid, Precious Lee, Kaia Gerber, Yumi Nu, Sherry Shi e Lourdes “Lola” Leon (a filha mais velha de Madonna, inúmeras vezes criticada por não depilar as axilas).

A sessão fotográfica aconteceu no escritório da Vogue, o elenco diverso foi selecionado para representar a “Geração América”.

E para sua foto solo dentro da revista, Nicholson ostenta um vestido branco Rick Owens coberto de lantejoulas, posando contra uma das janelas da Vogue.

Fui colocada nesta caixa de ‘modelo trans’,” disse Nicholson à Vogue. “Que eu sou — mas não é tudo o que eu sou.

Obviamente, é um grande evento ser a primeira mulher trans na capa da Vogue,” continuou.

Nicholson segue os passos de Valentina Sampaio e Laverne Cox — as primeiras modelos trans nas capas da Vogue Paris e a Vogue Britânica, respectivamente.

Aos 13 anos de idade, Nicholson apareceu no documentário “Growing Up Trans”, e assinou com a DNA Models enquanto estava no secundário. Desde então, ela posou para as capas da Vogue italiana e da Love e foi modelo para Marc Jacobs, Miu Miu e Calvin Klein — este último depois de ter sido escolhida a dedo pelo então diretor criativo Raf Simons para a honra, tornando Nicholson a primeira mulher trans a caminhar para a emblemática marca de moda norte-americana.


Ep.143 – Ding Dong: Gais en Barcelona, Trixie & Katya e Dia da Memória Trans Dar Voz a esQrever: Notícias, Cultura e Opinião LGBTI 🎙🏳️‍🌈

O centésimo QUADRAGÉSIMO TERCEIRO episódio do Podcast Dar Voz A esQrever 🎙️🏳️‍🌈 é apresentado por nós, Pedro Carreira e Nuno Gonçalves. O Nuno tinha acabado de chegar de Barcelona e incorreu em todo um ensaio filosófico sobre as diferenças entre as Gais de Barcelona e as de Lisboa e a homofobia internalizada que ainda vivemos no nosso país, Grindr incluído. Falou também do drag espanhol antes de se babar com o espectáculo ao vivo Trixie & Katya Live, as drag queens que considera suas mães. Mas também falámos de assuntos sérios como o Dia Da Memória Trans e o Pedro ainda conseguiu Dar Voz A… Dead To Me. Artigos mencionados no episódio: Dia da Memória Trans: 327 mortes no último ano em todo o mundo, mas a maioria não é relatada Música por Katya Zamolodchikova, Jingle por Hélder Baptista 🎧 Este Podcast faz parte do movimento #LGBTPodcasters 🏳️‍🌈 Para participarem e enviar perguntas que queiram ver respondidas no podcast contactem-nos via Twitter e Instagram (@esqrever) e para o e-mail geral@esqrever.com. E nudes já agora, prometemos responder a essas com prioridade máxima. Podem deixar-nos mensagens de voz utilizando o seguinte link, aproveitem para nos fazer questões, contar-nos experiências e histórias de embalar: https://anchor.fm/esqrever/message 🗣 – Até já unicórnios 🦄
  1. Ep.143 – Ding Dong: Gais en Barcelona, Trixie & Katya e Dia da Memória Trans
  2. Ep.142 – ESPECIAL AO VIVO PODES: Economia Gay, Qatar e a importância dos Podcasts nas comunidades minoritárias
  3. Ep.141 – Milk Milk Lemonade: Twitter de Elon Musk, Daniel Radcliffe vs J.K. Rowling e Queer Porto 8

O Podcast Dar Voz A esQrever 🎙🏳️‍🌈 está disponível nas seguintes plataformas:
👉 Spotify 👉 Apple Podcasts 👉 Google Podcasts 👉 Pocket Casts 👉 Anchor 👉 RadioPublic 👉 Overcast 👉 Breaker 👉 Podcast Addict 👉 PodBean 👉 Castbox 👉 Deezer

Exit mobile version
%%footer%%