Ucrânia: Rússia tem lista de “ativistas pelos direitos gay” para “serem mortas ou enviadas para campos” após invasão

Orgulho de Kiev em 2021.

As informações foram reveladas numa carta enviada em 20 de fevereiro a Michelle Bachelet, Alta Comissária das Nações Unidas (ONU) para os Direitos Humanos. Bathsheba Nell Crocker, Representante dos Estados Unidos no Escritório Europeu das Nações Unidas, escreveu que os EUA têm “informações credíveis que indicam que as forças russas estão a criar uma lista de alvos ucranianos a serem mortos ou enviados para campos em caso de ocupação militar, entre eles jornalistas, ativistas e ativistas pelos direitos gay”.

Também temos informações confiáveis de que as forças russas provavelmente usarão medidas letais para dispersar protestos pacíficos ou combater exercícios pacíficos de resistência de populações civis”, continuou sua carta.

Ela acrescentou que, numa situação de invasão, os alvos incluiriam aqueles “que se opõem às ações russas”, bem como “populações vulneráveis, como minorias religiosas e étnicas e pessoas LGBTQI+”.

Apesar da carta ter sido tornada pública apenas a 21 de fevereiro, rumores da existência da lista foram relatados pela primeira vez já na semana passada.

A Rússia classificou as alegações de “falsas” e negou inflexivelmente ter uma lista desse tipo. Dmitry Peskov, porta-voz do Kremlin, disse: “Esta é uma falsidade absoluta. Isso é mentira. Eu sei que isso é totalmente inventado.

A Rússia invadiu a Ucrânia na manhã de hoje.

[Uma invasão] significaria uma ameaça direta para mim e para a pessoa que amo“, disse Iulia, uma estudante de direito de 18 anos. “Na Rússia, as pessoas LGBTIQ são perseguidas“, disse. “[A Rússia] não nos permitirá existir pacificamente e lutar pelos nossos direitos, tal como somos capazes de o fazer agora.

A Rússia proibiu na sua Constituição o casamento entre pessoas do mesmo sexo em 2021, bloqueando qualquer avanço legislativo nesse sentido e aprovou uma lei contra a chamada “propaganda gay” em 2013.

A Ucrânia é um país europeu. Temos uma história de 10 anos de Marchas do Orgulho e na Rússia a situação é a oposta“, disse Edward Reese, da Kiev Pride. “Temos caminhos totalmente diferentes. Vemos as mudanças nos pensamentos das pessoas sobre direitos humanos, LGBTQ, feminismo e assim por diante. Definitivamente, não queremos nada relacionado [às políticas] da Rússia.

Iulia disse que, embora a Ucrânia ainda tenha um longo caminho a percorrer, foram feitos progressos reais em termos da aceitação das pessoas LGBTQ no país. A Ucrânia obteve apenas a 39ª posição no relatório anual da ILGA Europe referente a 2021. A Rússia o 46ª entre os 49 países analisados.


Ep.138 ESPECIAL: Opiniões sobre comunidade LGBTI+ com Cairo Braga, André Tecedeiro e Luísa Semedo e Pedro Carreira Dar Voz a esQrever: Notícias, Cultura e Opinião LGBTI 🎙🏳️‍🌈

Episódio ESPECIAL: Opiniões sobre comunidade LGBTI+ com Cairo Braga, André Tecedeiro, Luísa Semedo e Pedro Carreira. Cairo Braga tem neste episódio especial o duplo-papel de pessoa convidada e moderadora de uma conversa sobre a série de artigos de opinião que surgiram nos últimos dias sobre as identidades e vivências da comunidade LGBTI+… escritas quase na totalidade por homens heterossexuais, cisgénero, brancos e de meia idade. Para tal, juntam-se a Cairo o André Tecedeiro, a Luísa Semedo e o Pedro Carreira para uma conversa na primeira pessoa sobre este ataque, aproveitamento e obsessão que algumas pessoas comentaristas têm para falar da comunidades LGBTI+. A não perder! Artigos por pessoas LGBTI+ mencionados no episódio: A chave do armário e o orgulho da invisibilidade (por Luísa Semedo) De onde vem o que julga saber? Já conversou com pessoas trans e não-binárias? (por André Tecedeiro) O bullying dos opinion-makers (por Ana Aresta) Destransição: Dos mitos aos factos (por Pedro Carreira) Sigam e descubram o trabalho de: Cairo Braga André Tecedeiro Luísa Semedo Música por Fado Bicha: Fado Alice (com Alice Azevedo); Jingle por Hélder Baptista 🎧 Este Podcast faz parte do movimento #LGBTPodcasters 🏳️‍🌈 Para participarem e enviar perguntas que queiram ver respondidas no podcast contactem-nos via Twitter e Instagram (@esqrever) e para o e-mail geral@esqrever.com. E nudes já agora, prometemos responder a essas com prioridade máxima. Podem deixar-nos mensagens de voz utilizando o seguinte link, aproveitem para nos fazer questões, contar-nos experiências e histórias de embalar: https://anchor.fm/esqrever/message 🗣 – Até já unicórnios 🦄
  1. Ep.138 ESPECIAL: Opiniões sobre comunidade LGBTI+ com Cairo Braga, André Tecedeiro e Luísa Semedo e Pedro Carreira
  2. Ep.137 – Becoming All Alone: Homens Cisgenerais, Telescópio Homofóbico e Queer Lisboa 26
  3. Ep.136 – Break My Soul: Padre em apuros e Friends redimidos

O Podcast Dar Voz A esQrever 🎙🏳️‍🌈 está disponível nas seguintes plataformas:
👉 Spotify 👉 Apple Podcasts 👉 Google Podcasts 👉 Pocket Casts 👉 Anchor 👉 RadioPublic 👉 Overcast 👉 Breaker 👉 Podcast Addict 👉 PodBean 👉 Castbox 👉 Deezer

10 comentários

  1. A Rússia junto com os Estados Unidos, sempre disputaram a liderança mundial que o diga a “paternidade” de quem efetivamente chegou a lua, primeiro! Depois da Segunda Guerra Mundial, estiveram juntos, por um tempo, governando a Alemanha! Se os Estados Unidos se preocupam na valorização mundial do US$, a Rússia busca ser Indispensável a exemplo da, pasmem, dependência de combustível como o gás, pela Alemanha em relação a Rússia! No mais em cenário de Guerra, o “protocolo” é a proteção de crianças e mulheres, a exemplo da saída desse segmento populacional da Ucrânia para a Rússia, antes da deflagração da Guerra!

Deixa uma resposta Cancel reply

Exit mobile version
%%footer%%