Timor-Leste: Presidente José Ramos-Horta pede a timorenses que respeitem a comunidade LGBTI+

Timor-Leste: Presidente José Ramos-Horta pede a timorenses que respeitem a comunidade de LGBTI+
Presidente José Ramos-Horta participou no Pride de Díli

O Presidente de Timor-Leste, José Ramos-Horta, participou na Marcha do Orgulho LGBTI+ de Díli no dia 29 de julho e lançou agora uma mensagem de apoio à comunidade LGBTI+ do país.

A sua participação e apoio são especialmente importantes num país em que a maioria da população LGBTI+ ainda sofre violência, incluindo violação de correção. Em julho de 2017, a primeira Marcha do Orgulho LGBTI+ do país foi realizada com o apoio do governo. A deste ano esteve nas ruas da capital de Timor-Leste e terminou diante do Palácio Presidencial.

Depoimento completo do Presidente José Ramos-Horta

O Presidente da República, José Ramos-Horta, pede a todos os cidadãos que não discriminem uns aos outros pela religião, cor e limitação física e mental, e procura evitar a violência contra estes porque os mesmos também são Timorenses.

O apelo do Chefe de Estado foi apresentado na Sexta-feira passada na sequência da Marcha de Diversidade, promovida pela comunidade lésbica, gay, bisexual e transgénero – LGBTI.

“Timor-Leste deve mostrar um modelo ou exemplo sobre o respeito e a tolerância aos nossos filhos, aos nossos irmãos, envolvidos nesta comunidade. É uma excelente comunidade, e os seus membros são inteligentes e amam a pátria,” disse o Presidente da República.

O Chefe de Estado promete defender os direitos de todos os cidadãos no sentido de combater a violência e descriminação de todas as formas.

“Para a comunidade ou membros que sofreram da violência, como relatou o testemunho desta pequena história, eu como um timorense, como Presidente da República, fiquei muito triste, porque esta terra sofreu muito na história, incluindo sofrer por violência doméstica, por isso, devemos contribuir para combater qualquer tipo de violência no nosso país,” afirmou o Chefe de Estado.

O Presidente da República pede a colaboração da sociedade civil e dos parceiros de desenvolvimento para combater crimes e violências contra menores e mulheres.

De acordo com o Chefe de Estado, a porta do Palácio Presidencial está sempre aberta a todos os timorenses que querem promover atividades de festejo no jardim de Nicolau Lobato uma vez que, este espaço também pertence ao povo que se torna um modelo de diversidade e respeito mútuo.

A Marcha de diversidade partiu do Edifício da Secretaria do Estado de Juventude e Desporto e terminou no Palácio Presidencial, acompanhado por uma equipa de “banda musical”, membros de comunidade da LGBTQ, parceiros de desenvolvimento e membros dos corpos diplomáticos.

Trata-se de um evento anual, promovido pelo Grupo “Foin Sa’e Hatutan”, Fundação Codiva, Arco Iris e os parceiros de desenvolvimento, bem como GIZ, Embaixada da Nova Zelândia, Embaixada da Austrália, Embaixada dos EUA, Unidade de Assessores dos Direitos Humanos da UNO, UNO Mulher, entre outros parceiros.

Deixa uma resposta Cancel reply

Exit mobile version
%%footer%%