Saltar para o conteúdo
Anúncios

Categoria: Poesia

Sobre Salvador Sobral

Passados estes dias da final do Festival da Canção, e depois de todas as críticas, todas as piadas e piadolas, depois de todos os discursos derrotistas, resta-nos apenas isto: Se […]

Música com Q: Gisela João

“Ai m’lher, a bicheza veio toda para te ver“. Afirmação proferida por Gisela João enquanto parafraseava um amigo, parte de um casal homossexual, num concerto seu, que lhe abriu os […]

Música Com Q: 11 de Novembro

Na rubrica Música Com Q desta semana é impossível não começar com a nota de que Leonard Cohen, músico e poeta, faleceu hoje. Há um mês lançou You Want It Darker e declarou-se […]

Texto: A nudez por detrás da questão

Vejo-vos, enlaçados ao vosso corpo. A olhar sem me ver. Sento-me, aqui. O vosso jeito, desajeitado do conforto de serem. O andar coordenado na descoordenação que rege esta vida. Procuro, […]

Música com Q: Q de Dylan

Hoje é uma Sexta-Feira especial. Não porque existam lançamentos de destaque. Não existem. Mas ontem foi anunciado o novo laureado do Nobel da Literatura e, como todos já sabem por […]

A Idade Média… Queer?

Quando ouvimos “Idade Média” algumas palavras vêm à mente: peste, clero, bruxas; queer não é seguramente uma delas. E embora as três primeiras tenham um fundo de verdade não se deve […]

Sendo Eu não o sendo

Hoje acordo eu sendo aquilo que tu não és, mas a que chamas Eu. Sou ninguém, que outrora fora nada e que um dia será outro. Sou resultado de cada […]

Porque Tens Metade De Mim

Publicamos hoje uma carta em forma de poema de uma mulher – amiga – a um homem – amigo – para ler: Nunca me disseste de ti Talvez porque sentisses […]

Texto: Desculpa

Desculpa. Perdoa-me por não ser forte. Perdoa-me por não ser capaz. Gostava de acordar e ver o sol, dia após dia, Contigo, naquela cama que todas as noites nos unia. […]

Gisberta

“Perdi-me do nome, Hoje podes chamar-me de tua, Dancei em palácios, Hoje danço na rua. Vesti-me de sonhos, Hoje visto as bermas da estrada, De que serve voltar Quando se […]

Poema: O Frenesim

Perdido na imensidão do tempo, à procura do nada que tudo contempla em panóplias, montras e expositores. Artistas, fotógrafos e pintores. Nada de mais, mas a vista contempla. Sais à […]