Marcha do Orgulho LGBTI+ de Guimarães volta às ruas em 2022!

Marcha do Orgulho LGBTI+ de Guimarães volta às ruas em 2022!
Logotipo via Instagram.

Passados quatro anos, a Marcha do Orgulho LGBTI+ de Guimarães volta às ruas em 2022 no dia 2 de julho pelas 15h junto à Plataforma das Artes, onde se dará início à Marcha. A Marcha contará com uma paragem junto ao Tribunal de Guimarães, para se ler o manifesto. A Organização promete conquistar direitos!

Em 2022, Portugal conta com 22 Marchas do Orgulho LGBTI+ e Guimarães volta a juntar-se ao grupo de cidades que leva o Orgulho às suas ruas.

Organização é sensível aos diversos contextos da comunidade LGBTI+

A Organização repudia a criação das “Zonas Livres de pessoas LGBT” na Polónia, uma grave violação dos direitos humanos, por parte de um país membro da União Europeia. Com a ascensão da extrema-direita na Europa, países como a Polónia e a Hungria, têm vindo a perseguir direitos da comunidade LGBTI+, mas também de mulheres e minorias. Lamenta em comunicado a pouca ou nenhuma ação por parte dos órgãos dirigentes da UE, tal como a perseguição às identidades trans nos Estados Unidos da América.

A grande maioria das pessoas Queer nasce isolada e sem conhecer a comunidade LGBTI+, continua. É precisamente no combate ao isolamento e desinformação que os meios de comunicação revelam a sua importância e sensibilidade, os erros cometidos por estes podem gerar graves repercussões para a comunidade, avisa a Marcha do Orgulho LGBTI+ de Guimarães.

A pandemia teve um impacto profundo em jovens LGBTI+

Para muitas pessoas LGBTI+ a pandemia significou regressar à casa das famílias, que significa muitas vezes ‘voltar para o armário’ ou lidar constantemente com um ambiente hostil por fazer parte da comunidade LGBTI+. Não só o direito à habitação está a ser posto em causa, como também a situação de trabalho precário, que ainda oferece com frequência às pessoas LGBTI+ um ambiente hostil.

As chamadas de “terapias de conversão” continuam não criminalizadas em Portugal e a exercer a horrível manipulação e perturbação de membros da nossa comunidade, relembra a organização. Ainda realizadas por psicólogos e não combatidas, estas práticas permanecem a atormentar a vida de jovens que, sob o controlo das famílias ou de outras entidades de poder, não conseguem lutar contra elas.

Este ano, estudantes de todo o país lutou contra o assédio e as instituições que o permitem e exercem. Os movimentos juvenis e estudantis estão a unir-se para fazer frente a este problema sistémico da sociedade portuguesa. Também a comunidade LGBTI+ sofre da não resposta das entidades e da imponência da violência contra a comunidade, esta é a hora de nos unir para combatermos a sociedade patriarcal e LGBTfóbica.

Em Guimarães, o poder local, faz destes temas um não-assunto, quando são necessárias políticas de inclusão e de proteção. Por essa razão, a Marcha do Orgulho LGBTI+ de Guimarães exige que o poder local se retrate e comece a trabalhar nestas questões, disponibilizando-se para trabalhar em conjunto sobre estas temáticas. É necessário garantir que nenhuma pessoa da comunidade LGBTI+ seja perseguida, maltratada, agredida por amar ou ser ela mesma.

As reinvindicações da Marcha do Orgulho LGBTI+ de Guimarães

A Organização exige por parte do Governo e do poder local:

  • A criminalização das “Terapias de Conversão”;
  • A criação de Espaços de Apoio à vítima LGBTI+;
  • A reestruturação do SNS para que consiga atender problemas particulares da comunidade LGBTI+;
  • A capacitação dos recursos de saúde para que esta tenha os conhecimentos necessários e recursos para atender toda a comunidade;
  • Celebrar o Dia Internacional contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia – 17 de maio, dando visibilidade às pessoas, entidades e às reivindicações LGBTI+ (Hasteando a Bandeira LGBT);
  • Apoiar a celebração da Marcha do Orgulho LGBTQIAP+ de Guimarães;
  • A criação de um centro municipal LGBTI+ com disponibilidade de atendimento nas áreas de violência e discriminação, empregabilidade, saúde e apoio integral para pessoas trans;
  • A criação de apoio para a habitação para vítimas de violência LGBTI+.

A Marcha do Orgulho LGBTI+ de Guimarães sairá à rua, hoje e sempre. Celebrará quem somos – a resistência, a coragem e a determinação. Contra o ódio, o medo e a discriminação, pela igualdade e inclusão, sempre!

1 comentário

Deixa uma resposta Cancel reply

Exit mobile version
%%footer%%