Saltar para o conteúdo
Anúncios

Desabafo Pela Busca De Identidade

Aqui estamos nós. Um novo ano começou e com ele as introspeções do passado, presente e futuro: quais foram os meus objetivos para 2017? Cumpri-os? Quais serão os para 2018? Todas estas interrogações levaram-me a pensar “O que quero realmente? E quem sou eu?”. Sei o meu nome, a minha idade e a minha área de formação. Mas não serei eu mais do que isso?

Agora que terminei a minha licenciatura, tenho mais tempo para pensar e, não sei se por influência ou não, comecei a pesquisar mais sobre questões de sexualidade. Nunca tinha pensado muito sobre este assunto e no nosso país ainda há muito por explorar. Com a minha pesquisa, descobri um mundo completamente novo. Um mundo que não é apenas preto e branco. Um mundo em que não há apenas mulheres e homens. Um mundo em que não há apenas heterossexuais ou homossexuais.

Penso no meu grupo de amigxs. Elxs vão a dates, arranjam namoradxs. E eu? Nada. Nunca fui a um date, nunca arranjei namoradx. Nunca beijei um rapaz, nunca quis beijar um rapaz. Nunca beijei uma rapariga, nunca quis beijar uma rapariga. Nunca beijei ninguém, nunca quis beijar ninguém. Tenho 22 anos. Já pensei que talvez tenha um problema. Por que razão não tenho interesse em beijar nem ser beijada? Claro que saio à noite com amigxs, mas quero só sair, dançar, divertir. Nunca beijar, nunca curtir. Serei (a)normal?

Elxs dizem que sou engraçada, divertida, interessante. Que sou fechada, complicada, séria. Que não me abro quando conheço pessoas novas. Que preciso de estar mais “open to it”. Que talvez devesse avançar e dançar com outrxs na discoteca e talvez assim tivesse “lucky”. Nem vou falar de quando jogamos ao “Eu nunca…”. Juro que já tive de inventar acontecimentos da minha vida para não ser baleada com interrogações e olhares. Já a minha família culpa o meu feminismo e vegetarianismo. Que se não tivesse estes “pensamentos esquisitos”, como lhes chamam, já teria arranjado um namorado (e sim, teria de ser um namorado, um rapaz cis hetero).

No entanto, pensando bem, será que quero ter alguém? Eu sei que quero querer ter namoradx. Eu sei que quero querer ser beijada e beijar. Mas querer e querer querer são duas vontades completamente diferentes.

Mas afinal quem sou eu? Já pensei que sou heterossexual, já pensei que sou homossexual, já pensei que sou bissexual, já pensei que sou assexual. Já pensei tudo e mais alguma coisa e mesmo assim não sei qual a palavra que melhor me define. Pelo menos, sei o meu nome, a minha idade e a minha área de formação e por agora, é suficiente.

Margarida

Anúncios

1 Comentário »

  1. Belíssima reflexão pessoal, confesso que nos dias que correm me identifico imensamente com a autora. Não é um sentimento fácil de gerir, mas acredito que mais cedo ou mais tarde vá encontrar as respostas que procuro, ou então simplesmente deixar de dar importância às perguntas.
    Obrigada pela partilha!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: