Reino Unido junta-se à Suíça na proibição de terapias da conversão para pessoas LGBT

O Reino Unido prepara-se para proibir terapias de conversão para pessoas LGBT. Tal ação, ainda pouco comum na Europa e só em vigor na Suíça, vem no seguimento de um estudo feito pelo gabinete governamental para as Mulheres e a Igualdade (Women and Equalities Committee) britânico, que teve 108.000 participações. Cerca de 5% das pessoas inquiridas tinham sido oferecidas a possibilidade de fazer este tipo de terapia e 2% efetivamente passado por uma. 40% dos questionários mostraram que participantes já tinham experienciado crimes de ódio e que só 10% dos mesmos tinham sido denunciados às autoridades.

Outra observação chocante foi a de que mais de 2/3 dos inquiridos e inquiridas tinham receio de andar de mãos dadas na rua por medo de reações negativas. Tal teve inclusive destaque numa declaração da (problemática) primeira-ministra britânica Theresa May: “Estou chocada com a quantidade de inquiridos que disseram não poder ser abertos em relação à sua orientação sexual e evitam dar as mãos ao seu parceiro em público(…) Ninguém deve esconder quem é e quem amam“. Uma semana antes da Pride Week em Londres, é então anunciada esta iniciativa de 4,5 milhões de libras para combater a intolerância e a discriminação.

Esta proibição de terapias de conversão pode parecer redundante para muitas pessoas, mas a realidade é que continuam a existir profissionais de saúde a aconselhar a “cura” de pessoas homossexuais, bissexuais ou trans. E tal também acontece cá, como já foi sobejamente denunciado nos passados anos. Não é possível colocar em palavras a violência que é corromper pessoas, já com fragilidades psicológicas e inadequação social, com a tentativa de subverter a sua identidade para algo que é mais socialmente aceite. Já desde 1992 que a Organização Mundial de Saude retirou a homossexualidade do sua lista de doenças e que é aceite que não se trata de qualquer escolha por parte da pessoa que é depois discriminada por tal. Negar a identidade de alguém e tentar modificá-la à força tem de ser banido. Urgentemente. E em todo o lado.

Fonte:  CNN

 

Anúncios