Alemanha: Duas mulheres trans fazem história ao conseguir assentos no Parlamento

Duas políticas alemãs dos Verdes fizeram história ao tornarem-se nas primeiras mulheres trans a ganhar assentos parlamentares nas eleições nacionais do passado domingo na Alemanha.

Tessa Ganserer (na imagem acima) e Nyke Slawik concorreram pelo partido Verdes, que ficou em terceiro lugar nas eleições, aumentando os seus votos de 8,9% em 2017 para 14,8% nas eleições da desta semana e deve assim desempenhar um papel fundamental na construção de um novo governo de coligação.

É uma vitória histórica para os Verdes, mas também para o movimento trans e para toda a comunidade LGBTI“, disse Ganserer, 44 anos, acrescentando que os resultados eram um símbolo de uma sociedade aberta e tolerante.

No topo da lista de prioridades de Ganserer, que foi eleita para o parlamento regional da Baviera em 2013, está um procedimento que facilite a uma mudança de género nos documentos de identidade. Ganserer, que tem dois filhos, também pretende implementar mudanças legislativas para permitir que mães lésbicas adotem filhos.

Já Slawik, de 27 anos, disse que os resultados foram inacreditáveis. Ela garantiu um assento no parlamento através da lista de candidatos dos Verdes no estado ocidental da Renânia do Norte-Vestefália.

Slawik pediu um plano de ação nacional contra homofobia e transfobia, uma lei de autodeterminação e melhorias na lei federal antidiscriminação.

Ainda não consigo acreditar, mas com este resultado histórico das eleições, definitivamente serei membro do próximo Bundestag“, escreveu Slawik no Instagram.

A homossexualidade foi descriminalizada na Alemanha em 1969 e o casamento entre pessoas do mesmo sexo legalizado em 2017. Contudo, os crimes de ódio contra pessoas LGBTI+ subiram 36% no ano passado, de acordo com números policiais que destacam uma tendência crescente de homofobia em certas partes da sociedade alemã.


Ep.130 – Crónica do maxo discreto: Rescaldo da Eurovisão, Mapa Arco-Íris da Europa e Papa Francisco volta a lançar areia para os olhos Dar Voz a esQrever: Notícias, Cultura e Opinião LGBTI 🎙🏳️‍🌈

O centésimo vigésimo oitavo episódio do Podcast Dar Voz A esQrever 🎙️🏳️‍🌈 é apresentado por nós, Pedro Carreira e Nuno Gonçalves. Depois de fazermos um pequeno rescaldo da Eurovisão, falamos sobre o Mapa Arco-Íris da Europa realizado pela ILGA Europe e onde Portugal caiu na sua posição face a 2021. Depois continuamos a falar sobre Lisboa e Algarve que terão duas unidades de saúde especializadas para pessoas trans e em como o Papa Francisco volta a lançar areia para os olhos. Ainda há espaço para recomendações televisivas do Doctor Who, Yellowjackets e no cinema de What Lies Beneath. Não percam! Para participarem e enviar perguntas que queiram ver respondidas no podcast contactem-nos via Twitter e Instagram (@esqrever) e para o e-mail geral@esqrever.com. E nudes já agora, prometemos responder a essas com prioridade máxima. Podem deixar-nos mensagens de voz utilizando o seguinte link, aproveitem para nos fazer questões, contar-nos experiências e histórias de embalar: https://anchor.fm/esqrever/message 🗣 – Até já unicórnios 🦄 Música de Fado Bicha; Jingle por Hélder Baptista 🎧 Este Podcast faz parte do movimento #LGBTPodcasters 🏳️‍🌈
  1. Ep.130 – Crónica do maxo discreto: Rescaldo da Eurovisão, Mapa Arco-Íris da Europa e Papa Francisco volta a lançar areia para os olhos
  2. Ep.129 – Stefania (COM SARA RAQUEL): Eurovisão 2022!?!!!
  3. Ep.128 – Vai Tudo Passar Amanhã: Psicologia do Coming Out, Harry Styles e Queer Baiting

O Podcast Dar Voz A esQrever 🎙🏳️‍🌈 está disponível nas seguintes plataformas:
👉 Spotify 👉 Apple Podcasts 👉 Google Podcasts 👉 Pocket Casts 👉 Anchor 👉 RadioPublic 👉 Overcast 👉 Breaker 👉 Podcast Addict 👉 PodBean 👉 Castbox 👉 Deezer

2 comentários

  1. Vocês mulheris são poderosa mais não cão generosa podi ser cherozä nu poder vocês é uma Hera di peXi você gota dais minhais ve so na lida eu e tô nu cotoli dá pulitika gi é muitais muleklagi di pode falsificado

  2. Älemanha ó loka tu fasu nu pode é riter puricu à mulhe à lemanha sitonor o lo catu puricu é upodedezatozu no o lo catu ritetli

Deixa uma resposta