Homofobia: Portuguesa Atacada Em Londres

Apesar de a lei de um País servir muitas vezes de exemplo para uma sociedade que deseja avançar, por vezes esta fica para trás e proporciona que alguém abuse de outrém. Há, portanto, que denunciá-lo. Conta o Jornal de Notícias que Helena Martins, portuguesa residente em Londres, foi vítima de um ataque homofóbico violento.

O homem deu-lhe um murro num olho e tentou sufocá-la com a gravata que trazia vestida. Nesse momento, o implante auditivo que usa diariamente caiu ao chão. Helena, que tem prática de taekondo, tentou defender-se e o agressor arranhou-a na cara e deu-lhe mais murros no rosto. Helena acabou por conseguir pontapeá-lo e o homem fugiu.

Estou muito abalada. Não tenho dúvidas de que fui um alvo por ser uma mulher a usar uma gravata. Ele estava muito fixado na gravata. Não exagero, mas tenho um estilo masculino” – disse Helena ao jornal Standard.

A vítima sofre da Doença de Ménière, o que a torna dependente de um aparelho auditivo e lhe causa problemas de equilíbrio ao andar. “Não ando de forma direita. É possível que pareça que estou embriagada quando não estou, pelo que posso tornar-me um alvo fácil“, explicou.

A viver em Londres há 12 anos, Helena Martins – que é responsável pelo projeto digital da Sociedade Nacional de Crianças Surdas em Inglaterra  -considera que a cidade “é muito diferente agora do que quando cheguei, em 1998. É mais intolerante em relação às pessoas que são diferentes. Mesmo assim adoro Londres e o povo britânico“, contou.

Helena partilhou no seu Facebook as fotografias que resultaram do ataque de que foi vítima e onde apela que as pessoas denunciem estes casos:

A homofobia e a  transfobia ainda estão muito presentes. Por favor, se ouvir ou vir alguém a dizer ‘piadolas’ num bar, a assediar, a intimidar pessoas LGBT, a fazer comentários enquanto assiste à televisão ou a um filme… Aja! Fale! O seu silêncio faz-los sentir que estão certos. E não estão. Diga-lhes isso, por favor. Seja parte da solução, não do problema.

 

Algumas mulheres usam gravatas, alguns homens usam saias. E uma coisa é verdade: eu não deveria ser esmurrada no rosto por usar uma gravata.

Criou igualmente uma angariação de fundos intitulada “Some Women Wear Ties – Get Over It!” de forma a ajudar a associação Stonewall e assim promover a luta contra a homofobia.

A polícia continua a investigar o caso, não tendo ainda havido qualquer detenção.

Fontes: Jornal de Notícias e Facebook de Helena Martins.

Advertisements