Entrevista A Rafael Farias Teixeira, Autor De “Vinícius no Mundo dos Toalhas Brancas”

Vinícius no Mundo dos Toalhas Brancas começou como uma websérie literária e em 2015 superou as 40 mil visualizações. No passado Dia Internacional de Combate à Homofobia, o livro foi relançado com cinco capítulos extras e trechos inéditos.

A história começa no dia em que a revista Central, publicação de cultura de uma grande editora de São Paulo, anuncia sua última edição. Tempos de crise para o jornalismo, tempos de crise para o jornalista Vinícius Leonni Mendonça, narrador e personagem desta história. Jovem e arrogante, vê-se expulso da zona de conforto quando é transferido para uma revista masculina, a Instinto. A partir daí, Vinícius passa a questionar as suas certezas do meio jornalístico que, como ele, está acomodado. Frequentador de saunas gays, a personagem fará delas a metáfora principal do livro e, num toque de humor e erotismo, o ponto de partida para suas reflexões.

Da autoria de Rafael Farias Teixeira, assim conversámos com ele:

“Vinícius no Mundo dos Toalhas Brancas” começou como uma websérie literária, como se deu o salto para o lançamento em livro?

Ela foi lançada em capítulos semanais no meu site e com o passar do tempo eu notei a grande repercussão. Foram 40 mil visualizações em 2015. Mas eu sentia que faltavam partes essenciais da história, por isso pensei em uma edição definitiva com capítulos e trechos inéditos que complementam bastante a história do Vini e dão mais espaço para alguns dos personagens secundários.

E que conta a história agora complementada? Quem é Vini?

O Vini é um jornalista que se vê em uma posição complicada: ele é bem acomodado à sua posição, aos seus pequenos prazeres, e, depois de muitos anos trabalhando em uma revista de cultura, ele é transferido para uma revista masculina – o pior pesadelo dele! Nesse processo, ele acaba questionando suas atitudes e comportamentos em relação ao mundo.
Apesar de tocar em temas pesados e complexo, o livro é leve e bem-humorado. Como ele foi lançado em formado websérie, não foi possível publicar tudo que eu queria. Esses capítulos extras trazem um pouco mais de profundidade ao protagonista e aos seus relacionamentos.

 

E que pesadelo de Vini é esse pela transferência para uma revista masculina? Algum tipo preconceito?

 

Ele é um daqueles jornalistas acomodados, daqueles que têm pavor de assuntos sobre os quais eles não estão acostumados a escrever. Na Instinto, ele precisa falar de assuntos como futebol, sexo heterossexual e outras coisas que ele detesta. Esse também é um ponto que ele começa a se questionar sobre a própria postura: “será que também estou acostumado aos estereótipos que a sociedade me impôs?

 

Essa sociedade, é um espelho da brasileira? Como está o Brasil nas questões LGBT?

 

O livro se passa sim no Brasil, mas é um reflexo de diversos preconceitos, pensamentos e acomodações que existem dentro da própria comunidade LGBT. Eu acho que o Brasil e o mundo passam por uma fase difícil no que diz respeito às questões LGBT. É um cabo de guerra no qual conseguimos conquistas incríveis para depois sofrer derrotas imensas.

 

Que preconceitos são esses? O Vini assume uma postura divertida, irónica, ou mais séria?

 

Você sabe que dentro da própria comunidade LGBT há muitos preconceitos. Muitos de nós acabam apenas aceitando o gay que se encaixa em um determinado padrão: um tipo físico, uma classe social, um certo estilo… E o Vinícius acaba vendo algumas dessas coisas nele mesmo. Alguns capítulos abordam, por exemplo, o problema da idade entre os gays. Como gays mais maduros são muitas vezes esquecidos ou rejeitados apenas por envelhecerem. O Vini transforma sua opinião, sua visão à medida que vai passando por diferentes eventos importantes na vida dele. E há espaço para um olhar divertido e sério ao mesmo tempo.

 

Qual foi o maior desafio que encontrou neste projecto?

 

Acho que falar sobre sexo gay sem muitos pudores e filtros é algo ainda difícil. Sem falar que muitos gays ainda têm muitos preconceitos contra as saunas.
Outro desafio foi escrever uma história que, mesmo tendo uma forte temática LGBT, falasse de assuntos que atingem diversos públicos. O Vini deve ser lido por qualquer pessoa, independentemente de sua orientação sexual.

 

E onde podem as pessoas encontrar o Vini?

 

“Vinícius no Mundo dos Toalhas Brancas” está disponível para Kindle, despositivo ou app, seguindo o pelo link: bit.ly/viniamazon

Os leitores também podem me acompanhar pelas minhas redes sociais:
– Twitter: @rafaftex
– Instagram: @rafaftex

 

E por fim, uma mensagem aos seus leitores portugueses?

 

Desde que eu lancei o Vini como websérie eu recebi diversas mensagens de leitores portugueses, o que foi uma surpresa bastante gratificante. Então, convido todos os meus queridos leitores portugueses a conhecerem a história do Vini e compartilhar suas opiniões sobre essa jornada no Mundo dos Toalhas Brancas.
Vinícius no Mundo dos Toalhas Brancas! Livro entrevista Rafael Faria Teixeira capa.png

 

Nota: Obrigado ao Rafael pelo contacto 🙂
Anúncios