Entrevista A Maria Venes (autora do livro Desejo Incontrolável)

Nascida em Beja, Maria Venes destaca a cidade de Setúbal – onde viveu – pelas praias e serras. Lá fora foram as bicicletas holandesas que a conquistaram. Lançou no passado Sábado, em pleno dia da Marcha do Orgulho LGBT de Lisboa, a sua primeira obra publicada. “Desejo Incontrolável” é o nome e assim conversámos com a autora:

 

O livro “Desejo Incontrolável” marca a estreia da Maria Venes na publicação de livros, como surgiu essa vontade?

 

As personagens de “Desejo Incontrolável” andavam dentro da minha cabeça, um dia coloquei-as no papel, e a partir dai foi um vicio. Apaixonei-me pelas personagens desta história, e Escrever tornou-se um prazer. A escrita é o lugar ideal para dar liberdade à minha imaginação.

 

E que trouxe a sua imaginação, que história conta o seu livro de estreia?

 

“Desejo Incontrolável” conta a história de uma jovem estudante Erasmus, e nessa etapa da vida em que tudo é vivido com muita intensidade, Maria vai deixar-se levar pela paixão e descobrir um novo mundo.
“Desejo Incontrolável” fala de desamor, mas principalmente de amor, entre amigos, entre pessoas do mesmo sexo, e de como é preciso confiar no que sentimos.
Maria vai arriscar, saltar preconceitos e viver o conflito interno que muitas pessoas vivem, quando inevitavelmente decidem não seguir o roteiro/guião que a sociedade tem previamente escrito para cada um de nós, e se deixam surpreender pelo inesperado e pela espontaneidade da vida.

 

Uma questão difícil de contornar: é uma história de certa forma autobiográfica ou a Maria da história difere da Maria autora?

 

Esta é uma questão pertinente [risos].
A história é ficção, no entanto a personagem Maria reflecte algumas vivências minhas, nomeadamente a perspectiva da experiência de uma jovem estudante Erasmus, que é inspirada em factos reais. Foi muito bom recordar esses momentos eterniza-los em palavras e poder partilha-los.

 

De que forma a vida no estrangeiro, através do Erasmus da personagem Maria, abriu os seus olhos em relação à temática LGBT? Que influência teve na sua percepção cá e lá?

 

Nunca tinha pensado nisso mas talvez só tenha escrito “Desejo Incontrolável” por ter tido vivido essa experiência de estudar e viver fora do meu país, o que facilitou ter uma perspectiva diferente de tudo.
Passei a gostar mais de Portugal, e quanto à temática LGBT, por conviver com diferentes culturas enquanto estudante Erasmus ficamos mais tolerantes e mais receptivos ao que é diferente, talvez a personagem Maria transpareça isso na aceitação dos seus sentimentos.

 

Pode-se então dizer que a convivência e a proximidade com as pessoas são a chave para uma maior aceitação de nós mesmos? Que mais descobre Maria?

 

Sim, acredito que temos muito para aprender uns com os outros, não temos é paciência para nos deixar-mos descobrir, ensinar e surpreender, andamos na vida a correr e perdemos muita coisa pelo caminho.
A personagem Maria vai-se reinventar, e vai descobrir que é mesmo muito importante confiar na pessoa que ama, mesmo que tudo em seu redor mande duvidar.

Neste novo desafio [a publicação do seu primeiro livro], qual a maior surpresa que encontrou?

 

É um desafio muito interessante, que me tem propiciado a mim é aos meus amigos momentos muito divertidos ao longo deste processo, aproveito para agradecer a duas amigas, Paula e Francisca pela cooperação na correção da obra. Curiosamente a maior surpresa para mim foi mesmo o fantástico “sim” da Editora Chiado ao “Desejo Incontrolável”, as pessoas que leram e gostaram antes da editora, são suspeitas [risos]. No dia em que recebi a resposta da editora foi no dia em que tinha reservado para visitar a Casa Fernando Pessoa, e a Fundação José Saramago, entre estas duas visitas a estes dois senhores da literatura, recebi o email aprovando o “Desejo Incontrolável”, foi muito especial, e fiquei por breves momentos a sonhar acordada a contar ao Fernando Pessoa o que estava a acontecer, e eis que um senhor me acorda para me perguntar quanto custa a minha bicicleta dobrável que estava ao meu lado, é certo que é uma BMW e é muito bonita mas aquela estava a ser a minha primeira e única conversa com Fernando Pessoa 🙂

 

E onde podem as pessoas descobrir a Maria Venes e o seu livro “Desejo Incontestável”?

 

Não sou muito dada a tecnologia [risos], mas podem entrar em contacto pelo meu email [link] e pela página dedicada ao livro no Facebook.

 

Que mensagem deseja passar a quem nos lê e a quem tenha interesse em descobrir a história da Maria no seu livro?

 

A mensagem que gostaria de passar com a história contada em “Desejo Incontrolável”, é que quando a vida te der limões faz uma caipirinha saborosa e serve aos teus amigos, porque junto deles a festa é garantida e tudo ficará bem.
Quero também que possam sentir ao ler o livro que não vale a pena fazer muitos planos, nem tudo o que acontece na vida é consequências de uma escolha ou acto nosso. E por fim que esta história passe a mensagem que vale a pena arriscar com ou sem medo, e é o melhor caminho para sermos genuínos, autênticos e felizes.

 

Chiado editora desejo incontrolável maria venes lgbt entrevista capa portugal
Nota: Obrigado à Maria pelo contacto 🙂
Advertisements