Nova Direcção eleita da ILGA Portugal enfatiza a necessidade de “Mais Igualdade”

A ILGA Portugal elegeu no dia 8 de Novembro uma nova direcção encabeçada por Nuno Pinto e que irá liderar a equipa de 10 membros à frente da associação nos próximos 4 anos. A prioridade é a expansão da igualdade ganha na legislação durante os últimos anos, fruto do trabalho persistente junto das entidades vigentes por parte da associação e de Isabel Advirta e Paulo Côrte-Real, presidente e vice-presidente até agora.

Só agora podemos afirmar, enquanto cidadãs e cidadãos em igualdade perante a Lei, que está quase tudo por fazer: a discriminação em função da orientação sexual e da identidade de género continua forte, e é particularmente violenta quando acontece em esferas-chave da sociedade, nomeadamente na família, no trabalho, na escola, no acesso à saúde ou à segurança” disse o novo presidente Nuno Pinto em comunicado de imprensa.

Parte da estratégia da ILGA passará pela descentralização da visibilidade LGBT da capital e reforço dos serviços já prestados. Ana Aresta, agora vice-presidente, salienta: “a aposta nos serviços de apoio à população disponibilizados pela Associação, como a Linha LGBT, o Serviço de Aconselhamento Psicológico ou o Serviço Jurídico, que são cada vez mais um recurso fundamental para muitas pessoas por todo o país, e que precisam de ser alargados, reforçados e continuamente profissionalizados” enquanto reforça também a aposta na zona Norte de Portugal por parte da associação junto das camadas mais jovens.

A identidade e expressão de género continuarão também a ser prioritárias no trabalho da ILGA Portugal. Daniela Bento, a segunda mulher trans a integrar a direcção da associação afirma:”Por um lado, é fundamental garantir a autonomia e a autodeterminação das pessoas trans no acesso ao reconhecimento legal das suas identidades; por outro, é preciso que finalmente haja vontade política para acabar com as sérias dificuldades que as pessoas trans enfrentam no acesso à saúde, nomeadamente no acesso a tratamentos que são muitas vezes absolutamente fundamentais para o bem-estar físico e psicológico

Numa altura em que Portugal se destaca positivamente do resto da Europa em legislação efectiva que tenciona proteger as pessoas LGBT da discriminação sistemática, é importante garantir que essa igualdade ganha se difunda no resto da sociedade e para as actividades do quotidiano. E isso só se conquistará com visibilidade, em oposição à segregação e… invisibilidade.

Ficam então os nomes completos da direcção eleita: Nuno Pinto, Ana Aresta, Hélder Inês, Joana Cadete Pires e Daniela Bento (membros efetivos); e João Valério, Rita Oliveira, Nuno Gonçalves, Teresa Amor e Pedro Carreira (membros suplentes)

Fontes: ILGA Portugal.

Advertisements