set de 7 #10

Isaac Delusion chega-nos de Paris, um grupo de pop-eletrónico que define as suas criações como uma espécie de encontro entre o sonhador e sonâmbulo. “Isabella” é o primeiro single do seu mais recente álbum, “Rust and Gold”, lançado apenas há uns dias, e que sucede a “Isaac Delusion”, de 2014, e a três outros EPs lançados entre 2012 e 2015. A importância dada à imagem está presente nas suas criações, e este grupo procura integrar o seu amor pelo cinema na própria música, o que é evidente nos vídeos que têm vindo a acompanhar os singles lançados.

QUIÑ foi desde pequena influenciada pela música, tendo crescido a ouvir o pai a tocar bateria e trompete, e participando em coros. Atualmente explora as tendências de pop-eletrónico de uma forma etérea que se envolve nos sentidos e que cria uma atmosfera íntima, num estilo que a própria descreve como “fantasy soul”, num mundo que apetece explorar mais detalhadamente – o que felizmente se consegue fazer através do seu EP de estreia, “Galacticat”, lançado no final de 2016.

Sylvan Esso é o nome de um duo de indie/folk pop americano, formado em 2013 por Amelia Meath, que lhe dá a voz, e Nick Sanborn, mais envolvido na produção. A sua sonoridade combina o tom folk da voz de Amelia, que além de servir para transmitir a letra na música é também utilizada como um instrumento próprio, com sons mais eletrónicos trazidos por Nick, numa combinação que, de acordo com os próprios, abraça sintetizadores doces, xilofones vivos e batidas de dança e tanto pode ter um resultado emotivo como mais alegre e jovial. O seu álbum de estreia, “Sylvan Esso”, inteiramente gravado no apartamento de Nick, foi lançado em 2014, sendo a música de hoje um dos primeiros singles do seu segundo álbum, “What Now”, que será lançado este ano.

Fickle Friends chegam-nos de Brighton, na Inglaterra. Trata-se de uma banda formada em 2013, composta por Natassja Shines, que lhe dá a voz, Harry Herrington, Chris Hall, Sam Morris e Jack Wilson, que conheceu grande parte do seu recente sucesso devido às redes sociais, em particular as plataformas de blogs e twitter onde algumas das suas músicas foram partilhadas inúmeras vezes, ajudando a aumentar a sua notoriedade. Depois de passarem alguns anos em digressão através da Europa e de terem editado o seu EP de estreia, “Velvet”, em 2015, os Fickle Friends estão neste momento a trabalhar naquele que será o seu primeiro álbum que, se continuar a linha dos singles que lançaram até à data, será uma fantástica coleção de música indie-pop upbeat.

E^ST é uma jovem australiana que tem vindo a reunir criticas positivas daquele lado do mundo e que lançou até agora três EPs, “Old Age”, em 2014, “The Alley”, em 2015” e “Get Money!”, em 2016. O mais recente é, de acordo com a própria, inspirado nas suas experiências pessoais, e também nos concertos ao vivo que fez até à data, que lhe deram a vontade de criar música mais enérgica, num estilo que E^ST caracteriza como “bouncy electro pop music that needs a second thought”. De qualquer modo, é uma música do seu segundo EP que vos trago hoje, que espero aguce a curiosidade para descobrir o seu trabalho mais recente.

Starling cria música multi-facetada que procura levar o ouvinte a um mundo intoxicante que mistura o fantástico com o mundano, e que a levou a ser comparada com outros artistas como Sia e Fiona Apple. A sua música e imagem associada é a de alguém que gosta de se afirmar e chamar a atenção com estilo e auto-confiança, o que parece refletir-se também no gosto pelas selfies frequentes com que presenteia os fãs nas redes sociais. Depois do seu EP de estreia, “The Heart EP”, lançado em 2016, ter conseguido gerar curiosidade à sua volta, a seu segundo EP, “The Body”, lançado recentemente, e do qual faz parte o single que trago hoje, procura afirmar Starling como alguém a ter em conta no panorama musical atual e, de acordo com a própria, reflete a sua própria transformação pessoal e como aprendeu a preocupar-se menos com o que as outras pessoas pensam e mais com o que ela própria pensa.

Nite Jewel é a personagem criada em 2008 por Ramona Gonzalez, uma artista americana com formação em filosofia, que cita Janet Jackson e Mariah Carey como as suas inspirações musicais, apesar de na música que cria nem sempre serem imediatamente visíveis  essas influências. A sua carreira inclui já três álbuns, sendo “Liquid Cool”, de 2016, o mais recente, e estando para breve o lançamento de “Real High“, onde se inclui a música que trago hoje. Este último álbum, apesar de manter um som característico dos trabalhos anteriores, parece também ter adotado uma atitude mais abrangente e menos alternativa que os seus trabalhos de início de carreira, que o tornam uma forma  excelente de celebrar os dias de Primavera e de terminar a playlist desta semana.

Este é o set de 7 #10.

Os destaques visuais desta semana vão para Isaac Delusion, QUIÑ, E^ST e Starling, num esforço difícil para limitar a seleção de vídeos com que vos deixo, já que todos os artistas de hoje tem uma preocupação com a parte visual que tornam os seus vídeos muito interessantes e que complementam a própria música tornando-a ainda mais cativante.

Enjoy!

[Isaac Delusion — ISABELLA]
She locked up her heart
In a cell only she’s guarding
Then got rid of the keys
Threw them into the sea…

 

[QUIÑ – MATH]
Just run away my love
Been thinking about it long enough
Don’t really know the right way to go but I’m all about it.

 

[E^ST – The Alley]
I don’t know what I’m running from.

 

[Starling – Large It]
People wanna believe in moderation
That’s fucking sad
Who wouldn’t want to be free when baby we’re young.

Advertisements