Pela manutenção de Catarina Marcelino – e da Luta pela Igualdade

O problema dos incêndios em Portugal (não) ficou resolvido esta semana com a demissão da Ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, o rosto de uma liderança fragilizada – e minada também internamente – por momentos de profunda crise e aproveitados politicamente por uma direita transparentemente oportunista e totalmente desrespeitosa para com o País. Mas a substituição da mesma – que só em jeito de milagre de Fátima poderá reverter décadas das políticas nefastas que culminaram na tragédia deste ano – irá levar a profundas remodelações no Governo de António Costa. Eduardo Cabrita, actual Ministro-Adjunto passará Sábado a Ministro da Administração Interna. Com estas mudanças existem fortes possibilidades de remodelação do gabinete do novo Ministro-adjunto, que tutela a Secretaria de Estado para a Cidadania e Igualdade, pasta da responsabilidade de Catarina Marcelino.

Este nome não deve ser estranho a qualquer pessoa que visite este espaço regularmente. Desde que tomou posse há quase um ano, Marcelino tem-se mostrado uma política exemplar e integra e de um empenho sem precedentes por um membro do Governo Português na luta ativa e exaustiva pela igualdade de todas e todos. Caminhou connosco nas Marchas de Orgulho LGBT, inspirou-nos a sair do(s) armário(s) em pleno discurso do Arraial Lisboa Pride deste ano (ver vídeo em baixo), instilou nova vida na Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG), apoiou o financiamento das ONGs no trabalho de proteção das pessoas LGBT e fez aprovar em Conselho de Ministros a proposta de Lei de Identidade de Género. Entre tantas outras ações diretas que demonstram a sua competência e vocação para o cargo e a edificam como uma das pessoas mais importantes na promoção ativa dos Direitos Humanos e uma aliada já incontornável da população LGBT.

Como tal espera-se que o novo Ministro-adjunto, Pedro Siza Vieira, perceba a importância da manutenção de alguém como Catarina Marcelino, que não só tem segurado e dignificado a difícil e muitas vezes menosprezada pasta da Cidadania e Igualdade como soube redefinir em todos os dias do seu mandato o que ela significa. E simboliza. Para todas e todos nós.

Atualização 19:20

“Rosa Lopes Monteiro vai substituir Catarina Marcelino como secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, enquanto Carlos Miguel se manterá secretário de Estado das Autarquias Locais, de acordo com a página da Presidência da República.”

Não deixando de desejar boa sorte à nova secretária de Estado, é deplorável da parte do Governo esta substituição sem qualquer sentido de alguém com uma competência e dedicação muito acima do esperado e mesmo sonhado por aqueles que beneficiaram já dos seus anos à frente da pasta. Obrigado a Catarina Marcelino pelo seu trabalho exemplar e que será sempre lembrado.

Imagem: Delas

Anúncios