Trump Proíbe 7 Palavras Em Documentos Oficiais Do Governo (Transgénero É Uma Delas)

A Administração de Donald Trump proibiu a utilização de sete palavras ou expressões nos documentos que o Centro para o Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) está a preparar para o orçamento de 2018. Entre elas encontra-se a palavra Transgénero. Transparente?

A instituição mais importante na área da Saúde nos EUA foi assim informados que as palavras ou expressões vulnerável, diversidade, direito, transgénero, feto, baseado em provas e baseado na ciência não podiam constar no documento. Em substituição das duas última expressões, foram dadas sugestões alternativas como o CDC baseia as recomendações na ciência, tendo em consideração os padrões e desejos da comunidade.

Segundo o analista que denunciou o casou, os colegas presentes na reunião ficaram “incrédulos” e, não percebendo a seriedade da indicação, perguntaram se era “brincadeira“. Entre as diversas responsabilidades do CDC estão trabalhos sobre a prevenção do VIH entre pessoas Transgénero e anomalias associadas ao vírus da zika, o que inclui pesquisas sobre o desenvolvimento de fetos.

O porta-voz do Departamento de Saúde e Serviços Humanos disse que “continuará a usar a melhor evidência científica disponível para melhorar a saúde de todas as pessoas norte-americanas”.

Não se percebe, então, a razão deste enviesamento daquilo que pretende ser uma política de saúde baseada em factos médicos e científicos que, sem aquelas expressões, perde foco e sentido daquilo trata. Percebe-se, na realidade, percebe-se demasiado bem qual a intenção por trás desta proibição: silenciar aqueles e aquelas que, existindo, não lhes merece consideração e moldar a abordagem destes tópicos ao seu discurso preconceituoso. E Transparente.

Fontes: JN, G1 e Imagem.

Anúncios