Dia Mundial de Luta Contra o VIH/SIDA: diagnosticadas 1.803 pessoas em Portugal nos últimos dois anos

Imagem por Nacho Doce

Neste dia celebra-se o Dia Mundial de Luta Contra o VIH/SIDA. Foi revelado esta semana que foram diagnosticadas 1.803 pessoas em Portugal em 2020 e 2021, o que representa um acréscimo de 63 casos. Importa realçar que este aumento não contraria a tendência de decréscimo das infecções que se tem verificado nas últimas duas décadas em Portugal. Os números reflectem, sim, atrasos nos diagnósticos motivados pela pandemia da covid-19 e o surto de monkeypox. Como consequência, em 2021, foi anunciado que Portugal era o único país da União Europeia sem dados de diagnósticos em 2020.

Por esta razão, e ao contrário dos relatórios anteriores, este intitulado “Infecção por VIH em Portugal – 2022”, refere-se aos anos de 2020 e 2021. O mesmo anuncia que houve 870 novos diagnósticos em 2020 e 933 em 2021.

Segundo os dados da Direcção-Geral da Saúde (DGS) e do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, a maioria das pessoas diagnosticadas em 2020 e 2021 é homem. Há assim 2,5 casos em indivíduos do sexo masculino por cada caso em mulheres. A transmissão heterossexual continua a ser “a mais frequente” (51,8%), mas os casos em homens que têm sexo com homens “corresponderam à maioria dos novos diagnósticos em homens (56,0%)“.

A mediana de idades à data do diagnóstico foi de 39 anos. Em mais de 60% dos casos diagnosticados, utentes tinham entre 25 e 49 anos. Quase 30% tinham idade igual ou superior a 50 anos. A taxa de diagnóstico mais elevada registou-se no grupo dos 25 aos 29 anos. Em termos geográficos, a taxa de novos diagnósticos de VIH foi mais elevada na Área Metropolitana de Lisboa, seguida da região do Algarve. 

A DGS sublinha na nota do relatório apresentado na semana do Dia Mundial de Luta Contra o VIH/SIDA que nestes dois últimos anos “foram notificados quatro casos de infecção VIH em crianças”.

Foram comunicados 298 óbitos em pessoas que viviam com VIH: 148 em 2020 e 150 em 2021. Quase um quarto das mortes ocorreu mais de 20 anos depois do diagnóstico, mas as pessoas portadoras deste vírus ainda morrem numa mediana de idades que se fixou nos 58 anos.

Como mencionado anteriormente, os dados agora conhecidos não contrariam a tendência de diminuição das infecções por VIH nas últimas décadas, que “já se verifica desde o ano 2000”, segundo a DGS. Mais especificamente, houve uma diminuição de 44% no número de novos casos de infecção por VIH entre 2012 e 2021.

O Dia Mundial de Luta Contra o VIH/SIDA esteve em destaque no episódio do Podcast Dar Voz A esQrever com Eduardo Lima, do CheckPointLx: