Sobre A Passagem Por Uma Relação Heterossexual

Umas das histórias mais comuns que podemos encontrar na vida de alguém homossexual é a existência de uma relação heterossexual prévia.

Não é incomum que pessoas gays se apaixonem por pessoas do sexo oposto. E essas pessoas, acredite-se ou não, amam efectivamente a outra pessoa. E investem nessa relação, respeitam a pessoa amada, seguem a vida numa relação heterossexual. Mas algo eventualmente lhes falta. A fantasia, a tentação, a atracção por pessoas do mesmo sexo acaba por surgir, mais cedo ou mais tarde surge. Sempre. E as pessoas podem ter essa noção de forma consciente ou não, dependendo se elas já aceitaram esse lado da sua natureza.

São situações muito complicadas porque estão envolvidas por emoções, por amor e receios de rejeição. A pessoa gay receia contar a sua natureza à sua companhia por medo de magoá-la porque a ama verdadeiramente mas não da forma que ambos precisem dar e receber, é um amor impossível de preencher, impossível de ser correspondido por inteiro. Porque a sua natureza é outra, as suas fantasias pedem-lhe mais, pedem diferente. E isto não significa que, por via emocional, não possa haver uma vida sexual regular e com algum prazer, mas algo falta, algo não chega para se ter uma vida a dois plena.

E por isto é importante que uma pessoa que se encontre nesta situação possa pensar seriamente naquilo que está a passar e aceitar a sua natureza. Quanto mais prolongar a conversa com a outra pessoa mais complicado será toda a resolução. Ao falar será mais justo com ela, mesmo que a possa magoar de início, mas será certamente um primeiro passo no bom sentido. Para ambos.

Este tópico traz também à discussão a bissexualidade mas esse é assunto que ficará para outro texto.

Foi inspiração para o pensamento o vídeo Moon de Thiago Pethit enviado pelo nosso leitor Luciano (atenção, alguma nudez no vídeo):

Anúncios