O Significado Da Palavra Casal

Não é raro o dia em que encontre pela internet alguém a comentar ou a escrever sobre a (sua) definição (preconceituosa) da palavra casal. Geralmente resume-se à simplista “um casal é um homem e uma mulher, o resto são pares“, sendo que o resto, obviamente, são os casais de pessoas do mesmo sexo.

Eis alguns exemplos:

casal preconceito

casal homem mulher

Há até quem, escondido pelas iniciais JMPG, se dê ao trabalho de escrever uma carta aberta ao DNotícias que diz o seguinte:

Não existe história maior que a nossa, desde o aparecimento do homem e da mulher. Originalmente um casal se refere a um macho e uma fêmea. Nunca foi nem nunca será, um casal de machos ou casal de fêmeas! O verdadeiro “casal” Homem e Mulher têm sexos diferentes, com o propósito de procriar enquanto esses do mesmo sexo chamados “casais homossexuais “são para recrear, passar o tempo anormalmente.

O JMPG claramente não tem estado atento à sua volta, então não é que estão documentados casais de pessoas do mesmo sexo desde há vários milénios? O JMPG não sabe que não são os casais que são homossexuais? Quem são homossexuais são as pessoas! O casais, de resto, são iguais entre si. Pergunto igualmente ao JMPG se um casal de pessoas de sexo diferente não puder ou não desejar ter filhos se é menos casal por isso?

Não entendo como pessoas com tanta instrução, cultura etc.. não sabem distinguir o que é “um casal”. Até parece impossível! Aplicam sempre o termo, um “casal” homossexual.

Talvez o JMPG não tenha sequer feito o esforço de pegar num dicionário ou fazer uma simples e rápida pesquisa online, mas eu ajudo-o com a definição da palavra casal (e sem aspas):

ca·sal
(latim casalis, -e, relativo à quinta, à casa)

substantivo masculino

1. Par formado por macho e fêmea.

2. Par formado pelos cônjuges.

3. Conjunto de duas pessoas que têm uma relação sentimental e/ou sexual.

4. Propriedade rústica menos importante que a quinta.

5. Pequena povoação. = LUGAREJO

6. Conjunto formado por duas coisas iguais ou semelhantes. = PAR

Como pode ver o JMPG, casal é aplicável a duas pessoas do mesmo sexo, tal como par é aplicável a duas pessoas de sexo diferente. Muito simples e, como pode ver, não requer instrução especial.

Isto será mais uma mudança do A.O!? Não admira nada! Do modo que este mundo está, estou a ver que qualquer dia até o homem vai parir. O que não consigo entender é a quem a criança vai chamar de mamã.

Então, caro JMPG, a criança se tiver duas mães irá chamar de mamãs a ambas ou da forma como bem entenderem entre si. Igual se a criança tiver dois pais. Se a criança não tiver mãe ou pai, não irá chamar de mamã ou papá a ninguém, mas não é isso impeditivo de ser uma criança feliz e amada. São, sim, palavras como as suas que minoram estas famílias, sejam elas de que natureza forem.

É verdade que cada pessoa tem o livre-arbítrio, pode sentir atracção por quem quiser que ninguém tem nada com isso.

Exacto, por isso é que o JMPG fez questão de enviar uma carta aberta a um jornal onde claramente discrimina e onde julga, também claramente, ter algo com isso.

O que não se pode nem se deve confundir é dois homens juntos ou duas mulheres juntas como sendo um casal, tornando-os iguais com o verdadeiro casal “Homem e Mulher” juntos. Estou a ver que vamos ter de voltar novamente à cartilha.

E pergunto-lhe: por que não? Por que não se poderá assumir que dois homens ou duas mulheres, estando juntos de livre vontade numa relação sentimental e/ou sexual, são um casal? O que difere, em termos de responsabilidades, de respeitos mútuos e perante a lei, um casal de pessoas de sexo diferente de um outro do mesmo sexo? Tudo isto não passam de argumentos discriminatórios e, em particular, homofóbicos, carregados de preconceito e fobias irracionais.

Não é ao aceitarmos um casal de pessoas do mesmo sexo que desprezamos um outro de pessoas de sexo diferente, antes pelo contrário, porque é ao compreender a génese da ligação entre duas pessoas, independentemente da sua orientação sexual (ou raça, ou género, ou estatuto…), que entendemos e aceitamos e abraçamos o que é ser um casal em toda a sua plenitude e em todo o seu direito. Mas isso, claro está, não vem em dicionários.

Fontes: DNotícias e Priberam (1 e 2).

Anúncios