É Este O Cinema Do Queer Lisboa 19

Foi ontem, dia 2 de Setembro, anunciado no Hotel Flórida o certame da 19ª edição do mais antigo festival de cinema da capital, o muito aguardado Queer Lisboa. E como tem vindo a ser habitual nos últimos anos foram anunciadas novidades na programação que espelham a dinamização do próprio festival e da abordagem da temática LGBT de forma mais universal e inclusiva.

Para além da diversidade do cinema que é trazido anualmente às salas do São Jorge no certame principal, uma das grandes apostas este ano assenta na secção Queer Art, tornada agora competitiva, e que se alia à Faculdade de Belas Artes de Lisboa para a atribuição de um prémio ao melhor realizador de um dos setes filmes eleitos que incluem o filme sensação da secção ACID de Cannes, “Pauline S’arrache” de Émilie Brisavoine, realizadora de “Tots Els Camins De Déu” da espanhola Gemma Ferraté e “Cancelled Faces” de Lior Shamriz. Os realizadores brasileiros Gustavo Vinagre, que irá encabeçar um workshop dedicado à temática do sexo explícito na 7ª arte – “Ver ou Não Ver”, e Tavinho Teixeira vão apresentar também no Queer Art os seus novos filmes, “Nova Dubai” e “Batguano”, respetivamente.

Para mostrar que o Brasil é rei no Queer Lisboa e um dos países pioneiros da abordagem da temática queer em cinema, chega também o grande filme destaque da conferência de imprensa de ontem, “Praia do Futuro”, do já reconhecido realizador do cinema queer Karim Aïnouz e filme selecionado para a Sessão de Abertura no dia 18 de Setembro. Relata a história de um nadador salvador do Norte do Brasil,. protagonizado pelo actor Wagner Moura de “Tropa de Elite”, que abandona a sua vida para perseguir a sua identidade e paixão para Berlim. Este filme causou polémica numa rede de cinema brasileira que advertia individualmente cada espectador para as cenas de sexo homossexual, carimbando o bilhete de cinema com a palavra “AVISADO”. O realizador reagiu de forma positiva a esta reacção totalmente discriminatória e retrógada, indicando que a aceitação geral do filme por parte do público e imprensa eclipsava estas “manifestações pontuais mais conservadoras”.

Junta-se a ainda outro filme brasileiro que, tal como “Praia do Futuro”, esteve presente na mostra da Berlinale. “Beira Mar” de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon mostra o Brasil do Sul e as dificuldades de atingir simultaneamente a maioridade intelectual e a plenitude da identidade sexual.

Eisenstein in Guanajuato 1 (© Submarine 2015)
“Eisenstein in Guanajuato”

Para além dos destaques feitos anteriormente na primeira apresentação do Queer Lisboa 19 em Julho, incluindo o filme de Peter GreenawayEisenstein in Guanajuato” escolhido para a Sessão de Encerramento, surgem também outras selecções, como o grego “7 Kinds of Wrath” de Christos Voupouras, igualmente interessantes para a Competição Oficial de Longas-Metragens, que já podem ser encontradas na sua plenitude no site oficial do Queer, juntamente com o documentários que irão marcar presença na secção de Competição de Documentários, dos quais se destaca o francês “Vivant!” de Vicent Boujon, que aborda a persistência do estigma da SIDA na comunidade LGBT, tema esse que será depois abordado num debate entre Vincent Leclercq, uma das figuras centrais do filme, e Ricardo Fuentes do Grupo Português de Ativistas sobre TratamentosVIH/SIDA (GAT).

Serão retomadas outras secções Queer Pop, dedicada à música – desta feita ao aniversário da compilação Red Hot + Blue e uma retrospectiva da carreira do arrojado e controverso ícone gay Björk – Hard Nights, In My Shorts e Queer Focus, também presentes em edições anteriores do festival.

Bjork - All is Full of Love
“All is Full of Love” de Björk

No total poderão ser visionados 76 filmes de 34 países diferentes entre 18 e 26 de Setembro. Como Parceiro Média do festival, o Escrever Gay irá estar com uma presença bem forte no festival, não só na cobertura mais formal do mesmo como na tentativa de espelhar a dinamização do Queer via outro tipo de textos e intervenções mais próximas do diverso público que irá estar presente no Festival. Até já.

Calendário QL19 (clicar para pdf)
Calendário QL19 (clicar para pdf)

ACTUALIZAÇÃO:

Mais um spot incrível da agência Fuel a promover o festival, desta feita inspirado no filme Weekend de Andrew Haigh e satirizando a censura de tudo o que é romance homossexual:

Anúncios