Bispos Lamentam “Ligeireza E Leviandade” Na Alteração Da Lei Da Adopção

Reporta o DN:

O conselho permanente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) lamentou esta semana a rapidez, “ligeireza e até leviandade“, com que a Assembleia da República aprovou a adopção de crianças por casais do mesmo sexo.

 

Em declarações aos jornalistas, em Fátima, o porta-voz da CEP, padre Manuel Barbosa, disse que o actual momento político foi abordado na reunião do conselho permanente e que os bispos lamentaram o “modo rápido” com que o Parlamento aprovou aquela alteração.

 

É um lamento desta rapidez, sem participação atempada e até ponderada da sociedade civil e de não ter havido, eventualmente, uma reflexão. A igreja mantém, naturalmente, a sua posição, a sua doutrina, nesse campo, que é bem sabida“.

 

Sobre o actual momento político, Manuel Barbosa assegurou o “respeito” da igreja católica pelo quadro constitucional “sempre na expectativa em relação aos tempos seguintes, para que tudo seja para bem das pessoas e das instituições, segundo os princípios centrados sempre no bem comum das pessoas e da sociedade“.

 

A posição da Igreja parece assim continuar a ser o de fechar os olhos a toda a informação que há relativamente à saúde das crianças adoptadas por casais do mesmo sexo: que têm a possibilidade de serem absolutamente felizes e educadas, tal como as restantes crianças. O maior problema destas crianças, dizem igualmente os estudos, é a homofobia que recebem de terceiros. Talvez fosse altura de a Igreja reflectir sobre estes factos e abrir de vez os braços a estas crianças e respectivas famílias, sem ligeireza e leviandade ideológica.

Fonte: Diário de Notícias.

Anúncios