Um Ano de Lorenzo e Pedro

YouTube, uma ferramenta vital para a visibilidade das pessoas LGBT pelo mundo, tornou-se absolutamente crucial nos Estados Unidos e nos países de língua inglesa nos passados dez anos. São inúmeros os canais que abordam a temática e muitos YouTubers tornaram-se em verdadeiras celebridades. Um exemplo gritante do potencial do YouTube foi Troye Sivan, um cantor Australiano que conquistou o mundo da música no final do ano passado com o soberbo “Blue Neighbourhood”.

Contudo Portugal parece não ter aderido ainda em massa a este movimento mundial, sendo uma das raras excepções o canal de Lorenzo e Pedro. Este “casal muito feliz e com um mau sotaque inglês”, como se descrevem, começou com uma divertida e despudorada rubrica semanal intitulada “Sexy Funny Kitchen”, em que, todas as Quintas-Feiras, cozinham um prato diferente. Mas a comida é apenas um (óptimo) veículo para algo muito maior. Em Junho, no mês do Orgulho Gay, juntaram-se à ILGA Portugal celebrando a igualdade com receitas baseadas na banda do arco-íris, com a mesma boa disposição e sentido de humor que nos haviam habituado até lá.

Apenas dois meses depois e em resposta aos videos que mostravam a violência na Rússia e na Ucrânia em reacção a casais homossexuais, documentaram uma experiência social em Lisboa em que passearam de mão dada pelas ruas da capital e registaram anonimamente as reacções dos transeuntes, imperfeitas e demonstrando algum desconforto aqui e ali, mas muito mais suaves e pacatas das que tinham sido observadas mais a Leste. Repetiram a experiência no Porto e meteram-se na boca do lobo, em pleno jogo do Futebol Clube do Porto, tendo-se repetido o mesmo tipo de reacções, sem qualquer violência física ou verbal de registo.

Mas se os Portugueses aparentam à primeira vista ser de facto um povo de “brandos costumes”, também são capazes de evitar o confronto directo e partir para o subterfúgio do insulto oculto, agora tão facilmente difundido através da Internet. Esse mesmo vídeo no Porto foi denunciado e retirado do YouTube graças a uma das pessoas capturadas no mesmo. Foram vítimas de cyber-bullying, sobre o qual já falaram publicamente entretanto, e vandalismo mesmo à porta de casa mas encararam isso com uma naturalidade e força incríveis, continuando mais fortes que nunca e insistindo no lema que definiram quase desde o primeiro dia: “Never Forget to Smile”.

Apesar de não intencional, tornaram-se assim em activistas da causa LGBT em Portugal, facto que os levou a ser um dos recipientes dos Prémios Arco-Irís do ano de 2015, atribuídos na semana passada pela ILGA. Entretanto continuam a ser presença assídua em inúmeros programas em directo da televisão Portuguesa, sejam eles mais generalistas ou específicos. A última deu-se no programa 5 Para a Meia Noite em que levaram para Rui Unas (em baixo) um bolo com recheio de Pedro Arroja e cobertura de Nuno da Câmara Pereira, dois dos inimigos públicos da causa LGBT em Portugal. Fizeram-no com a irreverência e descontração do costume, e o formato da iguaria culinária decerto iria enfurecer os “homenageados”.

0
Com Rui Unas, no programa 5 Para a Meia Noite da RTP1, no passado dia 12. Foto do Instagram oficial.

Entretanto preparam um dos seus mais ambiciosos projectos, em que vão “dar voz à comunidade LGBT no nosso País, ajudando assim a acabar com a discriminação e a trazer mais igualdade a todos nós”. Continuando nas palavras dos próprios:

Com este vídeo iremos mostrar que Homossexuais, Lésbicas, Bissexuais e Transsexuais são pessoas iguais a todas as outras, mas com uma diferença, terem algum receio de serem genuinamente livres.

A ideia é filmarem connosco num estúdio em Lisboa as vossas respostas a algumas perguntas que iremos fazer. A edição final do vídeo irá retratar quem vocês são, o que fazem da vida (trabalho/estudantes), quais os hobbies que têm, que receios têm, qual o vosso maior medo (contar aos pais, andar de mão dada na rua, contar aos vossos amigos, etc…) e claro como seria a vossa vida num Portugal onde a homofobia não existisse.

Todos estes testemunhos serão filmados no final do mês de Janeiro e quem tiver interessado em participar pode contactá-los via e-mail.

No espaço de um ano tornaram-se em duas das pessoas LGBT mais célebres de Portugal e como tal enfrentam as críticas e desdém que surgem com a notoriedade. No entanto, irão certamente responder a esse negativismo com um sorriso de orelha em orelha e continuar a trilhar o seu próprio caminho da forma que o fizeram até agora, incisiva mas sempre natural e recheada de bom humor. Num País cuja cultura, LGBT e não só, se encontra tão imersa num persistente negrume e melancolia continuam a ser a necessária lufada de ar fresco que só irá contribuir positivamente para a visibilidade da nossa comunidade, aqui e além fronteiras.

Anúncios