O Exemplo Da TAP Portugal (perante um casal do mesmo sexo)

Durante o dia de São Valentim de ontem, a TAP Portugal promoveu um concurso nos aeroportos de Lisboa e do Porto, em que oferecia bilhetes aos casais que se apresentassem vestidos de noiv@s.

Ao longo do dia, através da sua página no Facebook, a companhia aérea foi publicando as fotografias dos vários casais premiados que tinham direito a embarcar para capitais europeias como Paris, Londres, Amesterdão ou Madrid.

A última fotografia publicada foi de um casal de mulheres, o que gerou uma série de comentários homofóbicos na página oficial da TAP.

A empresa decidiu eliminar os comentários e já reagiu.

A TAP cumpre a Constituição e a Lei portuguesas e não faz discriminação em função da orientação sexual. Apelamos a todos os que comentam que utilizem linguagem adequada e não ofensiva e que respeitem os restantes utilizadores e as opções individuais de cada um.

Entretanto, no espaço de comentários da foto, há muitas mensagens de apoio e a elogiar a postura da companhia aérea.

São exemplos destes que diferenciam as empresas que defendem os direitos [constitucionais] dos seus clientes e outras que se silenciam – ou pior, promovem directa ou indirectamente – a discriminação daqueles que compram os seus produtos. A responsabilidade social cabe também àqueles que têm uma maior influência e visibilidade e, neste caso, a TAP Portugal – pela defesa das duas vencedoras e pela rapidez com que o fez – esteve muito bem! Simples!

Fontes: Sapo e TAP Portugal.

Anúncios