Vídeo: Hillary Clinton E A Igualdade

Hillary Clinton, que desde cedo se anunciou como aliada dos direitos das pessoas LGBT, lançou, poucos dias antes da vitória histórica social da liberdade do casamento nos Estados Unidos da América, mais um vídeo promocional da sua candidatura a Presidente dos Estados Unidos e desta vez o conteúdo foi inteiramente dedicado ao Pride, o Orgulho LGBT, e às famílias.

Em baixo deixamos a tradução livre do discurso do vídeo:

A História da América é uma história árdua de progresso, duramente conquistado. E isso continua hoje. Novos capítulos estão a ser escritos por homens e mulheres que acreditam que todos nós – e não apenas alguns – devemos ter a oportunidade de viver o potencial nos dado por Deus.

Este progresso não foi facilmente ganho, as pessoas lutaram, organizaram-se e promoveram em locais públicos e privados para que não só as leis fossem mudadas mas também os corações e as mentes. Graças a esse trabalho de gerações, para milhões de outras pessoas, as barreiras que outrora as impedia de desfrutar a plenitude da sua liberdade, a existência com dignidade e os benefícios da humanidade caíram.

Alguns sugeriram que os direitos das pessoas LGBT e os direitos humanos são diferentes e distintos mas, na realidade, eles são uma e a mesma coisa. Ser LGBT não o torna menos humano e é por isso mesmo que os direitos das pessoas LGBT são direitos humanos e os direitos humanos são direitos das pessoas LGBT.

Meses mais tarde, no início de Julho, Barack Obama oficializou o seu apoio a Hillary Clinton bem cedo na campanha, algo raro entre presidentes, com o seguinte vídeo:

São pessoas – Clinton e Obama – que, sim, poderão ter mudado a sua visão sobre os direitos das pessoas LGBT, mas neste caso, mais importante que o seu passado, é a mudança que tiveram. Dirão os mais cínicos que foi simplesmente uma estratégia política, mas a verdade é que se tornaram duas figuras fulcrais na mudança das mentalidades e das leis discriminatórias nos Estados Unidos.  Gostava ver muito em breve em Portugal um político de renome, tal como estes ou Justin Trudeau, juntar-se assim de forma tão explícita e próxima da população LGBT e tornar a luta pelos direitos dessas pessoas numa das suas bandeiras de campanha. Afinal de contas, não se esqueçam eles e muito menos nós, somos humanos e temos o direito ao voto. Temos portanto o dever em usá-lo como arma contra o preconceito, a discriminação e a LGBTfobia. Que assim seja.

Advertisements