Mariana Pacheco e o Desdém do Correio da Manhã

Mariana Pacheco, actriz e protagonista da telenovela da SIC Coração D’Ouro, decidiu, segundo a revista Sábado, “quebrar preconceitos e assumir a sua paixão por Filipa Marinho”. É esta a manchete da notícia [ver acima], mas logo no segundo parágrafo podemos ler que, “embora não tenha assumido publicamente a relação, o Correio da Manhã deste sábado revela que vários amigos e alguns colegas da novela sabem do seu romance homossexual”. A revista semanal cita ainda o tablóide e alegados amigos que garantem que Mariana “está apaixonada e, para ela, fez sentido assumir que está a viver um grande amor”. Pois, poderá fazer sentido assumir a sua relação, mas não necessariamente a um jornal tablóide, não é, ó alegado amigo?

Não cabe a uma revista, jornal ou sequer alegados amigos ou amigas fazer o coming out de ninguém, sejam ou não figuras públicas. É preciso que haja uma incoerência tremenda numa pessoa que tenha consequências no seu trabalho ou na sociedade (como já aconteceu com políticos homofóbicos que estavam dentro do armário) para que seja colocada essa hipótese. Em todos os restantes casos essa hipótese deverá ser automaticamente descartada. É uma vida. É uma decisão pessoal que só a própria pessoa deve tomar, quando achar que o quer e pode fazer publicamente. A ideia que lançam de que a decisão em se assumir é tomada pela própria actriz no subtítulo da notícia é enganadora perante os leitores. Em vez de se preocuparem com estas fofoquices tablóides, interessava mais que quem noticia isto se preocupasse com a saúde do jornalismo nacional. O desdém de todos os intervenientes nesta “história” pela vida privada de Mariana – e não creio que haja outra palavra que tanto se adeque – é lixo.

Nota: Obrigado ao Luciano pela dica 🙂

Advertisements