Promover a igualdade relembrando a dimensão espacial do amor!

Foi no passado dia 17 de Agosto de 2016, que pela primeira vez foi enviada uma bandeira do orgulho LGBTQ para o Espaço! Esta acção, que surge de uma organização não governamental, intitulada por ONG Planting Peace.

A mesma teve, então como principal finalidade atrair a atenção para a luta pela igualdade e pelo fim da discriminação, em função da orientação sexual, da identidade e expressão de género, luta esta que já existe há várias décadas! Ou seja, o Espaço torna-se agora um local despido de preconceito, que aceita o enorme e variado espectro da sexualidade humana!

A própria organização declarou o Espaço, como sendo um local friendly para os indivíduos homossexuais, transexuais e bissexuais! O procedimento adoptado foi o seguinte, utilizou-se um balão de alta-altitude, onde a bandeira estava implantada e, posteriormente, lançou-se o mesmo para o Espaço onde se manteve durante três horas na estratosfera terrestre. Nada mais, nada menos, que uma altitude de 34 mil metros acima do nosso planeta! Por fim, iniciou-se a viagem de regresso, através de um movimento descendente em queda livre.

Torna-se, assim, essencial e importante mencionar as declarações de Aaaron Jackson, presidente da ONG Planting Peace, facultadas à Huffington Post:

Foi uma honra enviar a primeira bandeira do orgulho LGBT para o espaço. Foi uma oportunidade maravilhosa de mostrar que a Planting Peace não vai parar de lutar pelos direitos LGBT até que todas as minorias sexuais e de género experienciem direitos fundamentais em todos os cantos do universo. O espaço deu-nos uma perspectiva maravilhosa, inspiradora e cheia de paz, como mensagem de esperança para a nossa família LGBT. Adoraria que as crianças LGBT que estão sofrendo vissem isto, olhassem para as estrelas, soubessem que o universo brilha forte para elas e que não estão sozinhas.

Uma mensagem simples, mas com um potente cariz reflexivo, e direcionado para a igualdade. Avaliando esta mensagem, constatamos que o protagonista é uma minoria, é um grupo de sujeitos há muito reprimidos, a família LGBTQ, mas o cenário é o mais abrangente possível, o Espaço!

Questiono-me, assim, como é possível neste cenário eu ser aceite como membro da sociedade, e acima de tudo como Ser Humano, mas no cenário realista na qual a minha história de vida se desenrola, ser ainda reprimida e julgada? Curioso, não é? É também transmitida nesta atitude uma mensagem para os mais novos indivíduos LGBTQ, que se vêem na actual sociedade ainda reprimidos, sofrendo fortemente os preconceitos e estereótipos atuais…

A mensagem é simples, olhem para as estrelas e saberão, que todo um Universo está a brilhar para vocês, e nunca estarão sozinhos! Temos a obrigação de transmitir esta ideia para os mais novos, para que as futuras gerações experienciem uma sociedade mais evoluída, tanto no amor, como na sexualidade, e até como na identidade e expressão de género!

É a nossa obrigação como mais velhos e sábios desta sociedade, utilizar da forma mais positiva todo o nosso conhecimento, bem como sabedoria! E foi, assim, reforçada uma mensagem universal para toda a família LGBTQ, que consiste nos seguintes pressupostos:

  • Tu és amad@, valorizad@ e bonit@;
  • Não há nada de errado contigo;
  • Tu não estás sozinh@, e nós estaremos ao teu lado.

 

Eu sou ainda muito novata relativamente à sabedoria, à experiência de vida, mas tenho uma mente rebelde, revoltada, relativamente a inúmeras características da actual sociedade, e é por isso, que pretendo transmitir esta mensagem… Quero que nas gerações futuras não exista, pelo menos de forma tão acentuada, esta rebeldia mental!

Sim, é necessário haver esta rebeldia de modo a desenrolar-se a evolução humana, ou seja, para crescermos e evoluirmos temos de expor, bem como alterar o que achamos de errado, mas não quero que as futuras gerações sejam constituídas de indivíduos confusos e reprimidos por serem quem são! A liberdade individual terá de se vingar de forma mais acentuada, e crua!

A nossa identidade já é demasiado complexa, bem como o fenómeno intitulado por amor, para nos preocuparmos com todos estes aspectos! Pensem só, o planeta tem 7 biliões de indivíduos, e nós, por vezes, temos a sorte de encontrar alguém com que nos identificamos, e com quem nos sentimos bem ao expor-nos, onde o auto-conhecimento se torna numa componente importante… Agora, no meio disto tudo, e na presente sociedade, ainda temos sujeitos que têm de estar preocupados com julgamentos e opiniões de terceiros, e é simplesmente injusto e descabido!

Deixem-me conhecer a mim mesma e outrem, deixem-me ser feliz! É este o pedido desta novata com uma mente rebelde, e inquietante… E sim, é possível, até porque agora sei da existência de um Universo, que brilha por mim, e que não me deixa sozinha! Mas, por que é importante falar em amor? Pois, tal como Max Müller diz: “A flower cannot blossom without sunshine, and man cannot live without love“.

Advertisements