Ellen DeGeneres Cancela Participação De Cantora Homofóbica

A Ellen DeGeneres cancelou a participação no seu programa de televisão, agendado para esta Quinta, da cantora gospel Kim Burrell depois de esta ter feito declarações homofóbicas sobre a população LGBT numa igreja no Texas: “O espírito homossexual  e pervertido, tal como o espírito da ilusão e da confusão… tem enganado muitos homens e mulheres“.

Depois de o vídeo onde Kim proferia estas declarações se ter tornado viral, esta ainda se tentou justificar:

Eu nunca disse que todos os gays vão para o inferno. Eu nunca disse LGBT… Eu disse ‘pecado’… A todas as pessoas que estão lidar com um espírito homossexual, foi isso, eu amo-vos, Deus ama-vos, mas Deus odeia o pecado que existe em vocês e em mim. Tudo aquilo que é contra a natureza de Deus.

O problema é que esta lógica de odiar o pecado e não o pecador não é mais que um argumento vazio que tenta contornar a questão de ódio sobre a identidade das pessoas e aquilo que – naturalmente, acrescento – são. Uma espécie de eufemismo e tentativa de politicamente correcto que caem perante o preconceito homofóbico que lhes é inerente.

As justificações da cantora não convenceram igualmente a Katonya Breaux, mãe de Frank Ocean – artista assumido – com quem Kim trabalhou, perguntando ironicamente se dava para cortar a voz da cantora no álbum do filho:

E tal como Katonya, também Ellen cancelou de forma ríspida a participação de Kim Burrel numa actuação prevista para hoje com Pharrell Williams:

Importa, pois, estar do lado certo da História e estas duas mulheres sem dúvida alguma que estiveram.

Fontes: attn: e Expresso.

Anúncios