Trump Revogou Directivas De Obama Que Protegiam Estudantes Trans (Beyoncé, Ellen e Caitlyn reagem)

Este episódio começou em maio de 2016, quando a Administração de Barack Obama enviou uma directiva a todas as escolas com o objectivo de esclarecer as dúvidas levantadas nas mesmas. A directiva era clara: uma pessoa que se identifique com um género diferente daquele com que foi registado à nascença tem direito a usar os espaços reservados às pessoas do género com o qual se identifica.

Na realidade a directiva enviada em Maio é muito mais abrangente, determinando, por exemplo, que as pessoas transgénero devem passar a ser tratadas nas escolas por “ele” ou “ela” a partir do momento em que manifestem essa vontade. No entanto, o início da polémica está ligada directamente ao uso das casas de banho por parte de estudantes trans nas escolas públicas. A directiva da Casa Branca foi emitida como reação ao estado da Carolina do Norte ter aprovado uma lei que obrigava as pessoas a usarem as casas de banho públicas de acordo com o sexo com que foram registadas à nascença.

Na passada quarta-feira, a nova Administração enviou uma carta às escolas públicas intitulada “Caro Colega, revogando as instruções anteriores sem apresentar, no entanto, novas instruções. Nela argumenta-se que as directivas enviadas por Obama têm de ser retiradas, dado que carecem de uma extensa análise legal, não passaram por um processo de selecção pública e semearam a confusão e desafios legais. A nova Administração afirma, no entanto – e ironicamente, acrescento eu – que as instituições de ensino “devem garantir que todos os alunos, incluindo os estudantes LGBT, possam aprender e prosperar num ambiente seguro”. Iremos aguardar por desenvolvimentos, mas estes recuos e adiamentos soam-me familiares, afinal de contas a desculpa de não ter havido uma discussão aprofundada é muitas vezes utilizada para adiar, ad aeternum, um tema que se quer afastado. Pergunto, que contributo tem esta revogação a estudantes trans de forma a prosperarem num ambiente seguro? Que significado tem uma ação destas quando meses atrás Trump prometia lutar contra quem ameaçasse a liberdade da população LGBT?

A resposta parece ser óbvia e de imediato vários nomes do meio artístico norte-americano reagiram à notícia, entre outros:

Beyoncé:

Estudantes LGBTQ precisam saber que têm o nosso apoio.

Ellen DeGeneres:

Quem sentir medo ou sem esperança, saibam que nunca deixaremos de lutar pelos vossos direitos.

Caitlyn Jenner:

Bem, Donald Trump, de uma pessoa Republicana para outra, isto é um desastre. Prometeu proteger a comunidade LGBTQ. Telefone-me.

Ellen Page:

Precisamos proteger a juventude trans e opor-nos contra esta crueldade que fere as nossas crianças.

Mark Ruffalo:

Feio! A Administração de Trump prepara-se para rescindir a proteção a estudantes trans!

George Takei:

A guerra contra a população LGBT por parte da Administração de Trump começou. Preparem-se para levar a nossa luta para as ruas. Estão connosco, aliad@s de LGBT?

 

Bem, estão?

Anúncios