João Braga: “Agora basta ser-se preto ou gay para ganhar Oscars” 

João Braga, fadista português de renome, manchou-o ao publicar na sua página de Facebook que “agora basta ser-se preto ou gay para ganhar Oscars“, considerando a vitória de Moonlight na passada madrugada uma “distribuição de Trumps“.

Acontece  que se calhar o João Braga não recebeu o memo e não percebeu que é precisamente o contrário que a vitória histórica de Moonlight nos trouxe. Não basta ser-se branco ou heterossexual para ganhar Oscars, ou pelo menos já não tanto.

Da minha parte, e depois de outros nomes portugueses  terem explicitado a sua homofobia como reação a vitórias da população LGBTI (e, como tal, de tod@s nós), esta é já uma vitória de Moonlight, porque a pessoa  racista e o homofóbica é hoje muito mais fácil de identificar. Só nos resta agora refutá-las e combatê-las. Porque não temos outro remédio, não é mania, é princípio. De vida.

Atualização:

João Braga, para além de manter a publicação homofóbica e racista, insiste em afirmar que “os herdeiros de Estaline são mesmo avessos à liberdade de expressão!” Não, João, liberdade de expressão é poder responder a comentários como o seu. Liberdade de expressão é também saber lidar com isso sem acusar outrem de colocar a liberdade de expressão em risco. Tente argumentar, contrapor ou até refutar quem se opõe ao seu raciocínio. Simples, não é? 

Atualização 28/02/2017:

O fadista apagou entretanto a sua publicação original. Fica, no entanto, o seu registo para memória futura. 

Advertisements