Coca-Cola e Igualdade (no desejo de um ‘pool boy’)

Uma irmã. Um irmão. Um libidinoso desejo em comum: o rapaz suado de camisa aberta e abdominais mais firmes que o chão da piscina que está a limpar. Com esta jocosa luta de hormonas a Coca-Cola, que já tinha dado indícios de inclusão nas suas campanhas, apresenta de forma leve algo que ainda se vê muito pouco em televisão: representatividade.

Porque na realidade não há quem já tenha passado a puberdade que fique impassível a tão gráfica demonstração de objetificação masculina. Tendo em conta a tendência inversa no mundo real, ela até é bem-vinda. Sugestão: da próxima em lugar de ser a mãe a roubar-lhes o “pão” que tal o pai? Ou o avô.

Anúncios