O ‘Não’ de Kylie Minogue é um ‘Obrigado’ meu

Foi revelado esta semana que Kylie Minogue, aquando do lançamento do iconográfico ‘All The Lovers‘, foi pressionada a cortar os beijos gay e lésbicos do vídeo de promoção do single. E a resposta da Australiana foi um ressonante ‘Não‘. As declarações vieram de Joseph Khan no Twitter, na sequência da eleição do video pelo Gay Times enquanto um dos mais positivos videoclips na representação do amor entre pessoas do mesmo sexo. O realizador norte-americano afirmou que a pressão surgiu no advento de uma internacionalização mais alargada da canção e que Kylie decidiu não publicitar esta tentativa de censura para evitar desviar as atenções da verdadeira mensagem de Amor universal que pretendia disseminar.

Este ativismo silencioso, mas tremendamente poderoso, de Kylie sedimenta alguém com ligações absolutamente indissociáveis à comunidade LGBT e uma das mais constantes aliadas da mesma, estando agora a lutar pela aprovação do casamento entre pessoas do mesmo sexo no seu país-natal com a campanha “Say I Do Down Under“, liderada pelo seu ex-noivo Joshua Sasse.

Numa nota pessoal queria partilhar apenas que ‘All The Lovers‘, na sua forma original e não censurada, foi uma pedra basilar no meu próprio coming out. Apenas sete anos passaram, mas em 2010 a visibilidade da população LGBT era significativamente mais reduzida do que nos dias de hoje. E ver todos aqueles casais a beijarem-se despudoradamente, sem fetichismos nem marginalismos – sob o signo de Afrodite – foi inspirador e reconfortante. Lembro-me de sair de casa depois de ver o vídeo e, enquanto ouvia a música no rádio do carro a caminho de um dos meus primeiros encontros com um rapaz, sentir esperança na minha presença num Mundo Novo. O ‘Não‘ de Kylie ajudou-me a ser Eu numa altura em que seria mais fácil deixar presa a máscara que envergava há tantos anos. Por isso não posso deixar de dizer… Obrigado ❤️.

Fonte: Attitude

Advertisements