7.27 – You can chase it for the night*

* Excerto de “LMK”, de Kelela

Howling é composto por Frank Wiedemann e RY X, que criam música repleta de emoção caracterizada por uma sonoridade eletrónica muito própria, na qual tanto a produção musical como a voz de RY X são elementos fundamentais para obter o resultado final na forma de algo que exige atenção e é melhor apreciado em momentos de maior instrospeção. Tal não significa, todavia, que seja uma música deprimente – pelo contrário, o exemplo que trago hoje, e que é o primeiro single lançado após o seu álbum de estreia, “Sacred Ground”, de 2015, chega repleto de energia na forma de uma batida sempre-presente, que não retira no entanto o encanto ao aspeto mais confessional das suas letras.

Outra artista de regresso é Jessie Ware, que deu recentemente a conhecer o seu mais recente trabalho, “Midnight”. Este single sucede aos seus dois anteriores álbuns, “Devotion” e “Tough Love”, de 2012 e 2014, respetivamente, e mantem uma sonoridade na linha desses trabalhos, embora pareça retomar alguma da originalidade que tornou o seu álbum de estreia “Devotion” um dos álbuns mais interessantes da última década, e que pareceu diluir-se um pouco em “Tough Love”, sem prejuízo deste ser, ainda assim, um ótimo álbum. O seu sucessor é esperado no final deste ano, e resta-nos aguardar, tanto pelo álbum como por um regresso a Portugal para um concerto ao vivo, depois de já ter passado por edições anteriores do NOS Alive.

Charli XCX é um nome que tem vindo a assumir cada vez mais relevância no panorama musical atual, seja através dos trabalhos lançados em nome próprio, quer através de colaborações com outros artistas. Este espírito colaborativo tornou-se especialmente visível em “Number 1 Angel”, uma mixtape lançada em março deste ano, e que integra músicas onde surge uma série de convidadas como MØ, Raye, Starrah, Uffie, Abra, e Cupcakke, numa lista de convidadas apenas do sexo feminino e que parece também evidenciar o lado feminista de Charli, a qual inclusive escreveu a música “Body of my own” como uma afirmação feminista e dirigiu um documentário sobre igualdade de género, “The F word and me”. A playlist de hoje inclui o single mais recente desta artista, “Boys”, que vem acompanhado de um vídeo dirigido pela própria e que inclui a participação de inúmeras celebridades do sexo masculino. Tendo já tido a possibilidade de assistir a um concerto ao vivo, é com conhecimento de causa que afirmo que a sua energia em palco é contagiante e que é uma artista que vale a pena conhecer.

Kelela regressou também muito recentemente com um novo single, “LMK”, que é a primeira amostra daquele que será o seu álbum de estreia, “Take me apart”, a ser lançado em outubro próximo, e que sucede à mixtapeCut 4 Me”, de 2013, e ao EP “Hallucinogen”, de 2015. Com uma sonoridade e um estilo pessoal muito próprio, Kelela tem vindo a reunir um consistente apoio de críticos e de outros artistas, tal como Solange e Bjork, gerando bastante expectativa em torno do lançamento do seu álbum. Tendo passado por Portugal já algumas vezes (inclusive na edição de 2016 do Super Bock Super Rock), esperemos que Kelela regresse em breve para nos dar a conhecer mais música. No entretanto, e para que possam conhecer mais algumas facetas desta artista, deixo-vos como sugestão um vídeo em que acompanhamos Kelela ao longo de uma noite, numa produção da publicação DAZED.

A playlist desta semana inclui ainda a música de Taylor Buono, Anna Straker e Mahalia, que nos presenteiam com estilos distintos em música inovadora para nos preencher os sentidos.

 

Os destaques visuais desta semana vão para Charli XCX, Kelela (em duas vertentes – o vídeo oficial do seu single “LMK” e a produção que referi anteriormente) e Anna Straker, com um vídeo que vive da atitude da própria Anna e que demonstra o porquê desta artista ter potencial para se tornar um dos grandes nomes da música de dança.

Enjoy!

Charli XCX – Boys)

 

Anna Straker – Serious

 

Kelela – LMK

 

Kelela: “Interlude” – A film by Cieron Magat

Anúncios