P!nk E Os Estereótipos: Discurso Para A Filha Willow

No passado domingo P!nk recebeu o “Michael Jackson Video Vanguard Award” nos Video Music Awards promovidos pela MTVDando continuidade à sua mensagem de inclusão àquilo que ainda muitos e muitas consideram hoje ser diferente, estranho ou até anómalo, partilhou uma história que viveu com a filha Willow de seis anos por esta se achar “a rapariga mais feia“. É um discurso que carrega uma mensagem que poderá servir de exemplo para crianças e adolescentes e, ao mesmo tempo, a todas as pessoas que, de alguma forma, já foram gozadas por serem, aos olhos de outrem e de alguma forma, diferentes. Assim foi:

Eu sei que não tenho muito tempo, mas deixem-me contar-vos uma pequena história. Recentemente, estava a levar a minha filha à escola quando ela, do nada, me disse: “Mamã, sou a rapariga mais feia que conheço”. “Huh?!”, comentei. “Sim, pareço um rapaz com cabelo comprido”. Na minha cabeça questionei-me de onde vinham estas palavras numa rapariga de apenas seis anos, quem lhe tinha dito isto? Teria que dar uma carga de porrada a outra criança de seis anos? [risos] Mas nada disse…

Assim que cheguei a casa fiz-lhe uma apresentação Powerpoint. Nessa apresentação estavam artistas e estrelas do rock andróginas que vivem a sua verdade, que foram e são provavelmente gozadas todos os dias mas que continuam a viver as suas vidas, acenando as suas bandeiras, inspirando-nos a todos e todas. São artistas como Michael Jackson, David Bowie, Freddie Mercury, Annie Lennox, Prince, Janis Joplin, George Michael, Elton John e muitos outros. A Willow não pareceu impressionada com o que lhe contava. Disse-lhe que queria mesmo saber por que ela sentia isso sobre ela mesma, ao que ela respondeu que se parece com um rapaz.

“E eu pareço-me como?”, perguntei-lhe. “Bem, tu és bonita”. “Obrigada! [risos] Mas quando as pessoas gozam comigo é isso que elas dizem. Dizem que me pareço com um rapaz ou que sou demasiado masculina ou que tenho demasiadas opiniões ou que o meu corpo é excessivamente forte. E então pergunte-lhe: “Vês-me deixar crescer o cabelo?”. “Não, mamã”. “Vês-me mudar o meu corpo?” “Não, mamã”. “Vês-me mudar a forma como me apresento ao mundo?” “Não, mamã”. “Vês-me esgotar concertos pelo mundo fora?” “Sim, mamã!” “OK”, respondi-lhe, “então, minha linda menina, nós não mudamos”. Pegamos na nossa terra e concha e criamos uma pérola. E ajudamos outras pessoas a ver como existem outras formas de beleza.

P!nk despediu-se do público e artistas que ali se encontravam a ouvi-la, agradecendo-lhes igualmente a inspiração. Poderão ver o vídeo na íntegra abaixo:

 

Fonte: TIME.

Anúncios