Contra O Estereótipo: Peggy Whitson Torna-se Na Astronauta Norte-Americana Que Mais Tempo Esteve No Espaço

Tentando desbravar caminho pelos estereótipos de género que nos acompanham – e em vez de reforçá-los – dificilmente viríamos Peggy Whitson sonhar em criança, na quinta onde cresceu, com outra coisa se não ser astronauta. E quem é Peggy Whitson?

Peggy Whitson é, aos 57 anos, a astronauta mais velha da história da exploração espacial e a primeira mulher a ter estado aos comandos da Estação Espacial Internacional, entre outros recordes, como o do número de caminhadas espaciais realizadas por uma mulher.

A astronauta norte-americana regressou no passado domingo à Terra, após concluir uma missão de 288 dias, batendo o recorde dos Estados Unidos pelo tempo passado no Espaço. Tendo-se estreado como astronauta em 1997, Whitson acumulou assim 665 dias no Espaço — mais do que qualquer outra astronauta norte-americana, mulher ou homem.

Formada em Bioquímica, concluiu no início da semana a sua missão na Estação Espacial Internacional, iniciada em novembro do ano passado, durante a qual percorreu 196,7 milhões de quilómetros e efetuou 4,623 órbitas em torno da Terra.

Com mais de 20 condecorações e prémios internacionais, Peggy Whitson seguiu o seu sonho e é hoje uma das mais respeitadas astronautas do mundo. Um exemplo para a clássica criança que sonha ser astronauta. Menino e, especialmente, menina.

 

O recorde mundial de permanência em órbita, de 879 dias, pertence ao cosmonauta russo Gennady Pedalka.

 

Fonte: Observador.

Anúncios