7.30 – No one breaks through*

* Excerto de “Loverboy”, de Mattis

Mattis Jakobsen chega de Copenhaga com o seu single de estreia, “Loverboy”. Com um percurso ligado ao punk-rock, este single marca uma mudança de direção enquanto explora uma sonoridade mais ligada à eletrónica, soul e pop, numa música com inspiração pessoal em que reflete um ponto difícil da sua vida: o fim da relação com a namorada da altura, a saída do seu apartamento, o ter que viver em casas de amigos e, num extremo distinto, as constantes saídas a festas e clubes em tentativas de esquecer a sua situação, mas que, de acordo com o próprio, o faziam apenas recordar, no dia seguinte, que tinha perdido tudo o que amava. De acordo com Mattis, este momento assumiu-se como o chegar a um momento de encruzilhada na vida e na própria música, uma altura certamente mais cinzenta mais que, ainda assim, teve como fruto um belíssimo single de apresentação.

Beatrice Eli é uma sueca que foi criada por pais profundamente religiosos, mas que não se reconhece na vida que os pais lhe incutiram – de acordo com Beatrice, os pais percebem que ela não se tornaria na simpática rapariga que vai à igreja e, criando o seu próprio caminho, optou por explorar a música abordando temas que exploram os seus sentimentos. Assumidamente lésbica, o seu álbum de estreia, “Die another day”, de 2014, tem uma conotação bastante sensual e homoerótica, explorando, de acordo com a própria, temas como sexo, drogas e raparigas. Já este ano Beatrice lançou o primeiro single do seu EP “Careful”, lançado há apenas poucos dias, referindo-se a ele como a forma de assumir o controlo sobre a sua sonoridade e criar a música pop que efetivamente pretende, num álbum dedicado à eterna temática das relações: apaixonar-se, desapaixonar-se, o desejo de querer continuar apaixonado.

Guta Naki são Nuno, Cátia e Dinis, amigos desde a adolescência, que têm explorado uma sonoridade muito pessoal e com identidade própria. A eles juntam-se Guta e Naki, a gata e a cadela, que emprestaram o seu nome à banda. De acordo com os próprios, “O que fazem é canções, e canção não é nada, o que interessa é o fazer”. A nós, ouvintes, cabe-nos, pois, ouvir, e é para isso que vos deixo “Ainda não sei”, um single do seu álbum de 2014, “Perto Como”.

A playlist desta semana inclui ainda músicas de Jillian Jacqueline, Bad Sounds, Elli Ingram e Dillon, numa viagem de ritmo e descoberta de novas sonoridades.

 

Os destaques visuais vão para Dillon, Mattis e Guta Naki, estes com um vídeo de “Acreditava no nada”, uma música distinta da que integra a playlist desta semana, para dar a conhecer mais uma música e o belíssimo vídeo animado que a acompanha.

Enjoy!

Dillon – Shades fade

Mattis – Loverboy

Guta Naki – Acreditava no Nada

 

Anúncios