Saltar para o conteúdo
Anúncios

Presunção De Inocência

reflexão lgbt

A presunção da heterossexualidade de um desconhecido ou de alguém que, na realidade, não somos próximos é algo que nos obriga a silêncios e respostas vagas. São aqueles instantes em que nos obrigam a tomar uma decisão, contamos ou não? Corrigimos ou não? São esses momentos que nos fazem criar fantasmas, nascem ali versões de nós mesmos que são-nos menos. São sombras, pedaços, um retalho daquilo que nos define. E, no entanto, dia após dia, acabamos por nos cruzar com alguém que nos força a tomar essa decisão e nesse compasso de espera faz-nos questionar aquilo que somos, se valemos realmente a pena. E se há dias e pessoas em que a resposta é-nos clara, noutros a boca fecha-se e deixamos de ser. Completos. Passamos a ser naquele momento, para aquela pessoa, uma outra pessoa que se parece connosco, que fala como nós, que se ri assim com gosto. Se nos pusessem lado a lado não nos conseguiriam distinguir. E, no entanto, não somos a mesma pessoa. Uma é uma projecção. A outra também o será, mas com a nossa assinatura por baixo. E se é verdade que todos somos projecções para terceiros, não é justo que todos os dias tenhamos que levar com certas conjecturas que nos fazem questionar o nosso carácter, a nossa essência. Como se todos os dias tivéssemos que lançar a questão “que raio somos?!” E todos os dias nos dessem uns segundos para o descortinar e decidir se valemos, realmente, alguma coisa. Não sei se – lhes – valemos de algo, mas agradeceria àquelas pessoas que insistem em questionar-nos e a presumir-nos que o deixem de fazer. E apenas nos deixem ser.

Anúncios

1 Comentário »

  1. Talvez baste fazermos o que temos a fazer, sendo quem somos, mas não sei, cada um saberá como se sente confortável. Nunca fiz uma uma exposição a ninguém não-próximo a explicar a minha identidade sexual, mas percebo que me percepcionem como homossexual (às vezes não). Vou pôr isto em termos talvez perversos: algum heterossexual, figura pública, fez uma declaração pública e formal de que é heterossexual? E se o fizesse, isso não soaria suspeito? Uma suspeita denegação de homossexualidade? Creio útil reflectir sobre o artigo de António Guerreiro (que nem sempre me resulta claro), no jornal Público, sob o título “Se eu fosse… “. Percebemos pela leitura que o artigo se deveria intitular “Se eu fosse paneleiro…”.

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: