Cinema Cultura Género História Música Notícias Vídeo

Tina: O documentário que conta a história de emancipação de Tina Turner

O documentário, que foi exibido no festival de Cinema de Berlim, estreia na HBO e conta o caminho tortuoso de Tina Turner da violência doméstica à sua independência como artista e mulher.

Tina, o documentário que estreia no próximo dia 27 de março na HBO norte-americana, retrata a vida de Anna Mae Brown, nascida nos campos de algodão no Tennessee e que aos 20 anos já cantava blues e black gospel ao lado de seu futuro marido Ike Turner numa postura explosiva em que misturava o carisma de Diana Ross e a voz potente de Aretha Franklin. Dele ganhou o nome, e assim nasceu Tina Turner, um dos maiores ícones da pop mundial. Mulher, negra, violentada.

O filme dedica boa parte do seu tempo precisamente à relação abusiva de Ike e Tina, a dupla de sucesso entre 1957 e 1976 quando, segundo ela conta no documentário, “um dia, num quarto de um hotel, dei-lhe uma massagem nas costas para ele dormir. Quando adormeceu, fiz as minhas malas e nunca mais voltei”.

Quando Ike bateu em Tina pela primeira vez ela tinha apenas 22 anos. O filme mostra algumas fotos da época em que ela aparece com o rosto inchado e lembra uma tentativa de suicídio da cantora. Foram anos de culpa e medo até se livrar de Ike que, amparado por poderosos advogados, não lhe deixou nenhum património na separação, a não ser o nome Tina – que ele lhe deu por ser fã da série Sheena: Queen of the Jungle. Anna Mae nem fora consultada quanto a essa mudança de nome artístico. Mas era o nome que tinha perante o seu público e a única coisa que lutou por manter aquando do divórcio, apoderando-se assim do seu próprio destino.

Mas esse destino este longe de ser fácil. Tina passou boa parte dos anos 1970 e 1980 a aceitar participar em concertos e programas de televisão duvidosos para se sustentar. “Não foi uma boa vida. Ou pelo menos o lado ruim não foi equilibrado pelo bom. O lado positivo é que chegamos eventualmente a um momento na vida em que não precisamos falar mais sobre isso“, diz ela hoje, aos 81 anos.

Respeito é o que quero. É o que a maioria quer. Mas muitas vezes não conseguimos aquilo que queremos. Especialmente nós mulheres. Já os homens não. Eles fazem o que querem, na hora que querem –  Tina Turner, durante um concerto nos anos 1970.

O documentário conta igualmente a narrativa de uma mulher que demorou para conquistar o respeito do da indústria discográfica e que encontrou, por fim, o amor em 1986 com o produtor musical alemão Erwin Bach, com quem é casada até aos dias de hoje.

Tendo aberto, a muito custo, portas para cantoras como Beyoncé, Rihanna ou Alicia Keys, Tina é um documentário imperdível que cimenta a importância de Tina Turner entre as melhores. Simplesmente a melhor.

T7 | Ep.4 – Industry Baby: Extrema-Direita VS Pessoas LGBTI, em Portugal e na Hungria Dar Voz a esQrever: Pluralidade, Diversidade e Inclusão LGBTI 🎙🏳️‍🌈

O octogésimo oitavo episódio do Podcast Dar Voz A esQrever 🎙️🏳️‍🌈 é apresentado por nós, Pedro Carreira e Nuno Gonçalves. Marcamos o início com as noitadas até às 23h mas passamos logo para os alegados crimes de ódio homobófico por parte de um dirigente do Chega e depois para a vontade de Viktor Orbán fazer um referendo na Hungria como resposta ao ultimato da União Europeia. Ainda falamos da Associação Variações antes de Dar Voz A… Greta, livraria feminista, Lil Nas X e o seu novo flex para a indústria e também à diversidade nos Jogos Olímpicos. Ah, e o Sawyer canta em alemão. Desculpem. Para participarem e enviar perguntas que queiram ver respondidas no podcast contactem-nos via Twitter e Instagram (@esqrever) e para o e-mail geral@esqrever.com. E nudes já agora, prometemos responder a essas com prioridade máxima. Podem deixar-nos mensagens de voz utilizando o seguinte link, aproveitem para nos fazer questões, contar-nos experiências e histórias de embalar: https://anchor.fm/esqrever/message 🗣 – Até já unicórnios 🦄 Música por Lil Nas X (feat. Jack Harlow); Jingle por Hélder Baptista 🎧 Este Podcast faz parte do movimento #LGBTPodcasters 🏳️‍🌈
  1. T7 | Ep.4 – Industry Baby: Extrema-Direita VS Pessoas LGBTI, em Portugal e na Hungria
  2. T7 | Ep.3 – I Wanna Be Your Slave: Mj Rodriguez brilha nos Emmys, Ursula von der Leyen aperta com eles e Pride nos Jogos Olímpicos
  3. T7 | Ep.2 – La Solitudine: Goucha non grata e onda de homofobia dopo Pride

O Podcast Dar Voz A esQrever 🎙🏳️‍🌈 está disponível nas seguintes plataformas:
👉 Spotify 👉 Apple Podcasts 👉 Google Podcasts 👉 Pocket Casts 👉 Anchor 👉 RadioPublic 👉 Overcast 👉 Breaker 👉 Podcast Addict 👉 PodBean 👉 Castbox 👉 Deezer

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: