O que prometeu Carlos Moedas para Lisboa no que toca à sua população LGBTI?

Naquela que foi a reviravolta da noite das autárquicas, Carlos Moedas, da coligação Novos Tempos, conseguiu retirar Fernando Medina da presidência da Câmara Municipal de Lisboa, uma das pérolas autárquicas do Partido Socialista.

Depois de uma noite tensa em que a projeção da RTP lhe dava a vitória inesperada, apenas depois das 2 da manhã da madrugada do dia 27 de setembro se cantou vitória na sede da coligação numa clara contagem renhida.

Resultados da votação à Câmara de Lisboa.

A Governação da Câmara Municipal de Lisboa não se adivinha fácil, com Moedas a presidir em minoria e contra uma maioria de esquerda.

Mas afinal, o que prometeu Carlos Moedas para Lisboa no que toca à sua população LGBTI?

No seu programa eleitoral pode ler-se que o objetivo central é “uma Lisboa cosmopolita, inclusiva e integrada numa economia partilhada, com condições e igualdade de oportunidades para todos.

Mais explicitamente, no que toca a “aprofundar os direitos sociais e a vida comunitária“, Moedas comprometeu-se a:

  • Executar os planos municipais já atualmente em vigor para a Igualdade, para a Prevenção e Combate à Violência contra as Mulheres e à Violência Doméstica e de Género, e para o combate à discriminação e razão da orientação sexual, identidade de género e características sexuais;
  • Construir uma unidade residencial de autonomização com capacidade para jovens LGBTI vítimas de violência ou expulsos de casa pelas respetivas famílias

No universo geral das eleições, notamos igualmente que, das 308 câmaras do país28 foram ganhas por uma mulher, o que corresponde a aproximadamente 9% do total e menos do que as 32 autarcas eleitas em 2017. Para comparação, o número de mulheres candidatas à presidência de uma câmara aumentou efetivamente este ano (de 237 para 270), mas menos foram eleitas, confirmando a tendência de um maior conservadorismo no voto das mulheres quando comparado com o de homens, segundo a investigadora Maria Antónia Pires de Almeida.


Ep.130 – Crónica do maxo discreto: Rescaldo da Eurovisão, Mapa Arco-Íris da Europa e Papa Francisco volta a lançar areia para os olhos Dar Voz a esQrever: Notícias, Cultura e Opinião LGBTI 🎙🏳️‍🌈

O centésimo vigésimo oitavo episódio do Podcast Dar Voz A esQrever 🎙️🏳️‍🌈 é apresentado por nós, Pedro Carreira e Nuno Gonçalves. Depois de fazermos um pequeno rescaldo da Eurovisão, falamos sobre o Mapa Arco-Íris da Europa realizado pela ILGA Europe e onde Portugal caiu na sua posição face a 2021. Depois continuamos a falar sobre Lisboa e Algarve que terão duas unidades de saúde especializadas para pessoas trans e em como o Papa Francisco volta a lançar areia para os olhos. Ainda há espaço para recomendações televisivas do Doctor Who, Yellowjackets e no cinema de What Lies Beneath. Não percam! Para participarem e enviar perguntas que queiram ver respondidas no podcast contactem-nos via Twitter e Instagram (@esqrever) e para o e-mail geral@esqrever.com. E nudes já agora, prometemos responder a essas com prioridade máxima. Podem deixar-nos mensagens de voz utilizando o seguinte link, aproveitem para nos fazer questões, contar-nos experiências e histórias de embalar: https://anchor.fm/esqrever/message 🗣 – Até já unicórnios 🦄 Música de Fado Bicha; Jingle por Hélder Baptista 🎧 Este Podcast faz parte do movimento #LGBTPodcasters 🏳️‍🌈
  1. Ep.130 – Crónica do maxo discreto: Rescaldo da Eurovisão, Mapa Arco-Íris da Europa e Papa Francisco volta a lançar areia para os olhos
  2. Ep.129 – Stefania (COM SARA RAQUEL): Eurovisão 2022!?!!!
  3. Ep.128 – Vai Tudo Passar Amanhã: Psicologia do Coming Out, Harry Styles e Queer Baiting

O Podcast Dar Voz A esQrever 🎙🏳️‍🌈 está disponível nas seguintes plataformas:
👉 Spotify 👉 Apple Podcasts 👉 Google Podcasts 👉 Pocket Casts 👉 Anchor 👉 RadioPublic 👉 Overcast 👉 Breaker 👉 Podcast Addict 👉 PodBean 👉 Castbox 👉 Deezer

Podes votar no Dar Voz A esQrever para o Prémio do Público do Festival Podes em 👉 https://podes.pt/votar/🦄🌈

Deixa uma resposta