O Papa Francisco E As Modas Passageiras

O plano de Deus para a criação, disse o Papa Francisco no passado Domingo, está “cumprida na união amorosa entre um homem e uma mulher, regozijando-se na sua jornada compartilhada.” Ele exortou os fiéis a superar “toda forma de individualismo e legalismo” que esconde o medo de aceitar o “verdadeiro significado de casal e da sexualidade humana”, uma lembrança de que o foco principal do sínodo continua a ser a família tradicional. Disse que a missão da Igreja não deve ser influenciada por “modas passageiras ou opiniões populares.”

O ‘verdadeiro’ significado de casal e da sexualidade humana não passará certamente por um modelo único como, aliás, a história milenar das várias sociedades humanas nos têm mostrado. O Papa Francisco volta assim a atirar mais uma acha sobre as famílias mono e homoparentais, negando-as e, pior, não entendendo que as pessoas LGBT não são “modas passageiras”.

Porque, por mais que nos neguem, assaltem, violem, massacrem – e muitas vezes o fizeram em nome de uma Fé – nós aqui estaremos, a cuidar de todos aqueles que de nós precisem, a cuidar dos nossos e dos vossos filhos – talvez um deles até tenha já sido beijado por lábios papais – e então, um dia, poderemos falar abertamente em compaixão e no sagrado Amor entre os homens, todos el@s.

Fontes: The New York Times e Mashable (fotografia).

Anúncios