Atentado Terrorista Em Discoteca ‘Gay’ Na Florida Faz 50 Mortos (‘Estado Islâmico’ Reivindica Massacre)

Um terrorista atacou uma discoteca gay na Florida na qual fez refém as pessoas que nela estavam e acabou por matar 50 delas. A comunicação social norte-americana fala igualmente em 53 feridos hospitalizados. O atirador, armado com uma espingarda, uma pistola e um engenho explosivo morreu durante o ataque e confirmou-se mais tarde as suas ligações ao auto-proclamado Estado Islâmico.

A Polícia transmitiu o seguinte depoimento na manhã de Domingo:

Desde início que a ideia de que o terrorista teria ligações ao grupo extremista – e absolutamente homofóbico – ganhou corpo, como reportaram jornalistas no terreno. “Se consideramos que isto é um acto de terrorismo? Absolutamente, estamos a investigar este caso de todas as perspectivas como um acto de terrorismo. Quer se trate de terrorismo doméstico ou internacional, temos de levar a investigação até ao fim“, disse Danny Banks, agente especial do FBI.

A polícia investigou se outros objectos deixados pelo atirador na discoteca seriam explosivos. Outro agente especial do FBI não confirmou as suspeitas de que o atacante tivesse ligações ao terrorismo islâmico: “Temos algumas sugestões de que este indivíduo poderia ter algumas simpatias com essa ideologia, mas por ora não podemos dizer nada com certeza“, afirmou Ronald Hopper.

O próprio Presidente Barack Obama partilhou o seu apoio às famílias das vítimas com um depoimento oficial:

Obama fez igualmente num discurso mais tarde um apelo à unidade: “Face ao ódio e à violência, amemo-nos uns aos outros. Não vamos ceder ao medo ou virar-nos uns contra os outros. Vamos permanecer unidos como americanos para proteger o nosso povo e defender a nossa nação, e agir contra os que nos ameaçam.

O atirador, segundo a CBS News, foi identificado como Omar Mateen, um cidadão norte-americano de 31 anos filho de imigrantes afegãos. As autoridades estiveram convencidas que não haveria risco de mais atentados, dado que terá sido iniciativa de um “lobo solitário.” Com o início das investigações à vida de Mateen, ainda levou algumas horas para que estas encontrassem alguma ligação, directa ou indirecta, aos extremistas islâmicos, informou um agente do FBI ao LA Times.

Omar-mateen_orlando

Horas mais tarde a ligação ao grupo terrorista foi eventualmente confirmada . Quem avançou a informação de que Omar Mateen terá prestado juramento ao auto-proclamado ‘Estado Islâmico’ antes de atacar a discoteca foi um congressista norte-americano, Adam Schiff. Mas a agência noticiosa ligada ao EI, AAMAQ, reivindicou o atentado, dizendo ter sido perpetrado por “um soldado do califado”.

A própria página da discoteca, pelas 7 da manhã – hora de Lisboa – publicou um pedido para que toda a gente saísse e fugisse. A discoteca, segundo testemunhas, estaria cheia com mais de 100 pessoas no interior quando se deu o ataque. Como continua a ser habitual, comentários homofóbicos surgiram mal se espalhou a notícia do atentado terrorista:

Ovenkin homofobia twitter
“Alguém está a fazer o trabalho de Deus em Orlando. A sentir-me abençoado”
Jared smith homofobia Twitter
“Pergunto-me quanto do sangue derramado na [discoteca] Pulse é VIH+?”

Só este ano, episódios de violência com armas de fogo nos EUA foram responsáveis por 5.800 mortes e mais de 23.000 incidentes. Este tornou-se no maior assassínio em massa na história norte-americana.

Membros da comunidade de Orlando têm-se apresentado para doar sangue e apoiar as vítimas sobreviventes do massacre, embora seja absolutamente irónico que homens homo e bissexuais não possam fazer, nas circunstâncias devidas, a sua importante doação numa situação de crise.

Este é, desde já, um dia negro para a população LGBT e toda a sociedade que se quer mais livre e igualitária. Junho, o mês do Orgulho LGBT, faz hoje mais sentido que seja celebrado.

orlando lgbt terrorismo isis
Fotografia por Jessica Kourkounis/Getty Images.

Fontes: PúblicoPink News.

Nota: Obrigado ao RicardoPedro e Filipe pela ajuda.

Anúncios