Revelada lista de homens executados na Tchetchénia enquanto purga homossexual continua

A Novaya Gazeta divulgou a lista de 27 nomes de homens executados em Grozny, capital da Tchetchénia, em Janeiro deste ano. O jornal foi quem noticiou pela primeira vez a sórdida violação dos direitos humanos a acontecer na região que tem como alvos homens homossexuais, perseguidos e presos em campos de concentração. A mesma fonte afirma que os 27 nomes dos homens divulgados fazem parte de uma lista que pode chegar aos 56 nomes, todos executados numa mesma noite, como parte da purga homossexual levada a cabo pelas autoridades tchetchenas.

Esta notícia chega ao mesmo tempo que ativistas, que estão a lutar para incidir luz neste terrível genocídio, recebem confirmação que as perseguições têm continuado desde que foram inicialmente desvendadas no início do ano, e mais de 100 homens foram presos e torturados e pelo menos 6 mortos. A restantes vítimas teriam sido devolvidas às famílias onde muitas vezes têm lugar “assassinatos de honra” no intuito de limpar a reputação familiar.

Durante a cimeira dos G20, Angela Merkel e Emmanuel Macron pressionaram Vladimir Putin a levar a cabo uma investigação profunda e isenta do que se estaria passar na região da Tchetchénia sob a sua alçada e governada por Ramzan Kadyrov. Por outro lado, o Secretário de Estado de Donald Trump, Rex Tillerson, disse que o tópico não fazia parte da agenda de discussões dos Estados Unidos da América com a Presidência Russa.

No mês a seguir à celebrações do Orgulho LGBT um pouco por todo o Mundo é vital não nos esquecermos que pessoas morrem diariamente por exprimirem a sua orientação sexual ou identidade género. Direitos que consideramos inabaláveis. Não podemos baixar os braços e temos de obrigar os governos que nos representam a não fazerem também. É por elas que marchamos. Agora e sempre.

Fonte: PinkNews

Anúncios