Quintino Aires: “A Homofobia É Um Problema Dentro Da Cabeça Dos Homossexuais”

A questão da homofobia – que é um problema ainda – é um problema dentro da cabeça dos homossexuais. Não precisamos dos desfiles da vergonha – como lhes chamo – que enviesam toda a leitura que é para fazer. Um casal homossexual é um homem com um homem e sem o resto do folclore.

Sem arraiais e letreiros na testa…

Exatamente!

Foi esta uma breve passagem do ainda psicólogo Quintino Aires, cédula profissional 9042, num programa de televisão. Por entre afirmações racistas e homofóbicas que tem feito nos últimos anos – e que já lhe trouxeram sanções por parte da Ordem dos Psicólogos Portugueses que lhe tem tentado retirar a cédula – Quintino volta a repetir o mesmo discurso preconceituoso.

A própria Ordem considerou que Quintino violou o código deontológico que deve ser absolutamente respeitado também em “declarações públicas prestadas nos mais diversos âmbitos, incluindo programas de rádio e televisão, artigos em jornais ou revistas, conferências e internet“.

Independentemente do conteúdo do programa televisivo, existe aqui uma clara desresponsabilização por parte de quem partilha publicamente uma mensagem de preconceito e ódio que alcança inúmeras pessoas. Quantas delas vêem ali uma validação do discurso?

Mais, o folclore, os arraiais e os letreiros na testa que tanto Quintino reprova têm uma razão de ser: são um momento de afirmação, pessoal e coletiva, contra as palavras e os atos de ódio que, todos os dias e desde muito jovens, nos são impostos por Quintinos e Cinhas da vida.

O problema está sim na cabeça de pessoas como estas. Pequeninas. Sejamos pois enormes no mês do orgulho que se aproxima e, de forma a marcarmos posição perante declarações destas, enchamos as ruas, as marchas e os arraiais de cor e humanidade. Deslumbrante humanidade. Que lhes sirva de lição.

Anúncios