Papa Francisco critica o movimento de reforma católica alemã que inclui diaconisas e celebração de casamentos entre pessoas do mesmo género

Papa Francisco critica o movimento de reforma católica alemã que inclui diaconisas e celebração de casamentos entre pessoas do mesmo género

O Papa Francisco alertou este domingo contra a implementação de reformas na Igreja Católica alemã.

Eu digo às pessoas católicas alemãs: A Alemanha tem uma grande Igreja Protestante, mas não quero “outra”, porque não será tão boa“, disse. Francisco respondia a uma questão sobre o que a Igreja Católica da Alemanha poderia fazer face à diminuição da adesão. “Não estou a dizer para voltarem atrás, não; mas vão para a fonte de inspiração, para as raízes“, enfatizou, alertando contra discussões “contingentes” que se afastam do “núcleo da teologia“.

Um número recorde de alemães deixou as suas congregações nos últimos anos, com a adesão à igreja a cair abaixo de 50% pela primeira vez em 2021. Os resultados de uma pesquisa publicada em setembro sugeriram que 58% das pessoas católicas alemãs opuseram-se às declarações contra a interrupção voluntária da gravidez feitas pelo Papa Francisco. A igreja também foi abalada por escândalos de abuso sexual infantil.

O Caminho Sinodal na Alemanha não tem autoridade para obrigar bispos e fiéis a aceitar novas formas de liderança e novas orientações de doutrina e moral“, disse. Esse caminho “abriria uma ferida à comunhão eclesial e seria uma ameaça à unidade da Igreja“.

Quais são as reformas propostas pelo Caminho Sinodal?

Em janeiro, mais de 120 padres e funcionários da Igreja Católica na Alemanha saíram do armário e afirmaram-se membros da comunidade LGBTI. Pedira o fim de “declarações desatualizadas da doutrina da igreja” sobre sexualidade e género.

Já em maio de 2021, Igrejas Católicas alemãs abençoam casais do mesmo sexo em desafio ao Vaticano.

Em fevereiro deste ano, o Caminho Sinodal pediu que a Igreja Católica permitisse que os sacerdotes se casassem, as mulheres se tornassem diaconisas e que os casamentos entre pessoas do mesmo sexo fossem abençoados pela igreja. O grupo também pediu que pessoas católicas comuns tivessem mais voz sobre como a igreja funciona.

Deixa uma resposta