World Press Photo: Fotografia Do Ano É De Casal Gay Na Rússia

O fotógrafo dinamarquês Mads Nissen venceu a 58.ª edição do World Press Photo, o mais importante concurso de fotojornalismo do mundo, com o retrato de um momento de intimidade entre Jon (21) e Alex (25), um casal homossexual. A imagem foi tirada em São Petersburgo, na Rússia.

É como se estivéssemos ali com aquele casal. Naquele quarto, à luz média. A imagem íntima premiada pelo júri do World Press Photo faz parte de um projecto maior de Mads Nissen chamado Homofobia na Rússia, que quer mostrar ao mundo como pode ser muito difícil ser gay num país como a Rússia, onde as minorias sexuais são perseguidas e o ódio tem vindo a aumentar nos últimos anos.

Mads Nissen, que trabalha para o diário dinamarquês Politiken, vê nesta fotografia, tirada em São Petersburgo, “a história moderna do Romeu e Julieta”: são duas pessoas que se amam mas que todos os dias têm de lutar por esse amor num país preconceituoso que não aceita a diferença. São duas pessoas que se amam entre quatro paredes e de cortinas fechadas.

A fotografia de Mads Nissen venceu também o primeiro prémio da categoria de Temas Contemporâneos.

“É um tempo histórico para esta imagem, a imagem vencedora tem de ser estética, ter impacto e ter o potencial de se tornar um ícone. Esta foto é esteticamente poderosa e tem humanidade”, escreveu em comunicado a presidente do júri, Michele McNally, directora de fotografia e editora assistente do New York Times.

Na Rússia, a comunidade LGBT é descriminada tanto social como legalmente, e é ainda vítima de ataques de ódio de grupos nacionalistas e religiosos. Há mais de 20 anos que a homossexualidade deixou de ser crime neste país, no entanto, as minorias sexuais vivem num clima de insegurança de impunidade. A HBO no ano passado o documentário Hunted: The War Against Gays In Russia, onde expõe os ataques homofóbicos que as pessoas LGBT russas sofrem por grupos organizados e sem qualquer tipo de proteção por parte do Estado.

Para a editora da Vogue Itália, Alessia Glaviano, a imagem premiada mostra como o amor pode ser a resposta no contexto actual do mundo. “É sobre o amor como um tema global, de uma forma que transcende a homossexualidade”, defendeu a jurada. “Manda uma mensagem forte ao mundo, não é só sobre a homossexualidade mas sobre a igualdade, sobre o género, sobre ser preto ou branco, sobre todas as questões relacionadas com minorias.”

A Rússia encontra-se em último lugar no Mapa Arco-Íris da ILGA Europe, esperemos que esta fotografia consiga ajudar a expor a gravidade da situação que as minorias sofrem diariamente naquele país porque o Amor, acreditamos, no final tem que vencer.

Fontes: Jornal Público e World Press Photo.

Anúncios