Célio Dias é o Primeiro Atleta Olímpico Português a Sair do Armário

Célio Dias, numa entrevista ao jornal Record, assumiu a sua homossexualidade. É, em 2018, o primeiro atleta olímpico português a fazê-lo. O judoca fala também abertamente da sua doença mental – síndrome esquizo compulsivo – diagnosticada depois dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016, onde uma derrota inicial o levou a uma espiral depressiva que levou a duas tentativas de suicídio. É nesta vertente mais sensacionalista da história de Célio que se focam os primeiros jornais, como o Diário de Notícias, a reportar a entrevista ao Record se focam.

célio_dias_-_Google_Search.png

É fundamental não silenciar esta coragem, revolucionária no desporto nacional, em sair do armário, ainda para mais por um atleta olímpico no ativo. E para os que pensam que hoje em dia nada tem a temer e que se tratam de revelações inconsequentes, basta ver alguns dos insultos a ele dirigido que já surgiram nas secções de comentários.

Célio_Dias__«Sempre_me_entendi_como_homossexual»_-_Judo_-_Jornal_Record.png

A visibilidade das pessoas LGBT em todas as áreas da sociedade é absolutamente fundamental e não deve nunca ser desprezada e banalizada. É importante para todos aqueles e aquelas que cresceram sem exemplos como o Célio perceber que o desporto e a identidade e orientação sexual não são mutualmente exclusivos. E, acima de tudo, é importante para jovens que estão hoje a ler esta notícia encontrarem fundamentação da sua vontade de perseguir um sonho de ter uma carreira no desporto e que sintam que quem são não é mais um obstáculo para o atingir.

Por isso, parabéns Célio Dias. E obrigado. Muito obrigado!

Fonte: Record

Anúncios