Skip to content
Anúncios

Estudo volta a confirmar que crianças de famílias homoparentais estão bem 25 anos depois

ARGENTINA-LGBT-PARADE

O Estudo Nacional da Família Lésbica Longitudinal (National Longitudinal Lesbian Family Study – NLLFS) tem acompanhado um grupo de famílias homoparentais constituídas por casais de lésbicas desde que estas começaram a planear ser mães no final dos anos 80 e início dos anos 90. Essas crianças têm agora cerca de 25 anos e pesquisa confirma, mais uma vez, que estão bem.

Quando comparadas com os seus pares que foram criados por casais heterossexuais, a pesquisa não encontrou diferenças significativas em relação ao “funcionamento adaptativo (família, amigos, cônjuges ou parceiras e desempenho escolar ou profissional), problemas comportamentais ou emocionais ou saúde mental”.

Em suma, o estudo mais antigo sobre homoparentalidade concluiu que as crianças criadas por casais do mesmo sexo são praticamente iguais às criadas por casais de sexo diferente. É certo que o NLLFS possui algumas limitações, incluindo a inexistência de casais do sexo masculino, falta de aleatoriedade na amostra e diversidade racial e económica nas famílias estudadas. No entanto, o estudo concorda com inúmeros outros estudos que retiraram a mesma conclusão: que crianças criadas por famílias do mesmo sexo são crianças globalmente saudáveis.

Por exemplo, um estudo de 2016 que contou com uma amostra aleatória de famílias do mesmo sexo descobriu que não houve diferença nos resultados para as crianças, embora tenha encontrado níveis mais elevados de stress nos casais do mesmo sexo – por questões exteriores ao núcleo familiar, como a homofobia. Mas o facto desse stress sentido no seio familiar não se traduzir em desfechos menos favoráveis ​​nas crianças demonstra a resiliência dessas famílias.

Outro estudo de 2016 incluiu uma mistura de casais de dois homens, duas mulheres e homens-mulheres recrutados por cinco agências de adoção e também recolheu feedback de professores das crianças para garantir que os pais e as mães não distorcessem os resultados. A pesquisa não encontrou diferenças entre nenhuma das famílias com base na orientação sexual do casal.

Um dos maiores estudos do mundo sobre famílias do mesmo sexo, realizado na Austrália, descobriu inclusive que as crianças criadas por casais do mesmo sexo eram na verdade mais felizes e saudáveis ​​do que as restantes.

Apesar de todas as evidências e da evolução jurídica em Portugal e noutros países do mundo, as famílias homoparentais continuam a ser descredibilizadas e colocadas em causa constantemente. Mas a verdade encontrada neste e noutros estudos nas últimas décadas mostra o consenso científico sobre a validade das famílias homoparentais. A mais recente pesquisa é apenas a cereja no topo do bolo.

Fontes: Think Progress e Imagem.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: