Sara Tavares: “Tinha 24 anos quando percebi que era bissexual”

Sara Tavares foi convidada da Luísa Sobral no seu Podcast O Avesso da Canção onde são contados a cada episódio os processos de escrita de artistas musicais.

Sara começa por contar o seu percurso artístico começado há mais de 20 anos. Chuva de Estrelas, Festival da Canção e, por fim, os seus álbuns a solo onde procurou reencontrar a sua voz e as raízes da sua família e encontrou o reconhecimento internacional. É nesta conversa com Luísa Sobral que esta lhe pergunta sobre a canção Muna Xeia, uma das suas favoritas.

O significado de Muna Xeia

A canção, escrita em apenas dois dias, “fala de duas pessoas“, respondeu Sara Tavares. “Foi o meu primeiro amor feminino. Em Cabo Verde. E sobre a minha mãe“, explicando ainda que “Muna é o nome da minha gata que faleceu.

Essa mulher pela qual estava apaixonada era uma mulher silenciosa, muito zen, quase monja! E então eu digo “uma sensação doce…”” Muna Xeia “é uma (canção) etérea sobre esse amor que me assustou. Tinha 24 anos quando percebi que era bissexual.”

Sobre a canção contar essa descoberta, Sara confirmou que era algo “ainda muito codificado” e que a escreveu quando já não estava com a mulher a quem canta. “Esse amor que tive por essa mulher incrível era muito maternal, encontrava muito nela um colo, um silêncio, uma aceitação e um abrigo e ela é bem badia!

Mensagem de Orgulho

Dois meses depois de sair esta entrevista, aquando do Dia Internacional do Orgulho LGBTI, Sara Tavares escreveu: “Viva a liberdade de amar e de pensamento desde que não pisemos a liberdade de ninguém né 🎨pintemos o caminho da verdade e alegria para todos mesmo todos 💜❤️🧡💛💚💙 👻

Vale a pena escutar e ler Muna Xeia:

Um sensação doce
Um sombra bo magia
Nha vida inteira m’ ta dá
Sô pa um segundo de bô sorriso
É grandéza di amor
Bem maior ki tudo dôr
Abri asa e voá…

Muna na paz
Muna na fé
Joana, Muna
Nha mana di cor café

É luar na bus odjus
Ki ta fazem sonhá cu sêu
E mansidão di bu alma
Ki ta invadim nha coraçom
Di Luz e ceu
Siduz, cretcheu
Nha muna xeia


Ep.143 – Ding Dong: Gais en Barcelona, Trixie & Katya e Dia da Memória Trans Dar Voz a esQrever: Notícias, Cultura e Opinião LGBTI 🎙🏳️‍🌈

O centésimo QUADRAGÉSIMO TERCEIRO episódio do Podcast Dar Voz A esQrever 🎙️🏳️‍🌈 é apresentado por nós, Pedro Carreira e Nuno Gonçalves. O Nuno tinha acabado de chegar de Barcelona e incorreu em todo um ensaio filosófico sobre as diferenças entre as Gais de Barcelona e as de Lisboa e a homofobia internalizada que ainda vivemos no nosso país, Grindr incluído. Falou também do drag espanhol antes de se babar com o espectáculo ao vivo Trixie & Katya Live, as drag queens que considera suas mães. Mas também falámos de assuntos sérios como o Dia Da Memória Trans e o Pedro ainda conseguiu Dar Voz A… Dead To Me. Artigos mencionados no episódio: Dia da Memória Trans: 327 mortes no último ano em todo o mundo, mas a maioria não é relatada Música por Katya Zamolodchikova, Jingle por Hélder Baptista 🎧 Este Podcast faz parte do movimento #LGBTPodcasters 🏳️‍🌈 Para participarem e enviar perguntas que queiram ver respondidas no podcast contactem-nos via Twitter e Instagram (@esqrever) e para o e-mail geral@esqrever.com. E nudes já agora, prometemos responder a essas com prioridade máxima. Podem deixar-nos mensagens de voz utilizando o seguinte link, aproveitem para nos fazer questões, contar-nos experiências e histórias de embalar: https://anchor.fm/esqrever/message 🗣 – Até já unicórnios 🦄
  1. Ep.143 – Ding Dong: Gais en Barcelona, Trixie & Katya e Dia da Memória Trans
  2. Ep.142 – ESPECIAL AO VIVO PODES: Economia Gay, Qatar e a importância dos Podcasts nas comunidades minoritárias
  3. Ep.141 – Milk Milk Lemonade: Twitter de Elon Musk, Daniel Radcliffe vs J.K. Rowling e Queer Porto 8

O Podcast Dar Voz A esQrever 🎙🏳️‍🌈 está disponível nas seguintes plataformas:
👉 Spotify 👉 Apple Podcasts 👉 Google Podcasts 👉 Pocket Casts 👉 Anchor 👉 RadioPublic 👉 Overcast 👉 Breaker 👉 Podcast Addict 👉 PodBean 👉 Castbox 👉 Deezer

Exit mobile version
%%footer%%