Monkeypox: Organização Mundial da Saúde recomenda redução de parceiros sexuais no combate ao surto

Monkeypox: Organização Mundial da Saúde recomenda redução de parceiros sexuais no combate ao surto

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda redução de parceiros sexuais no combate ao surto de Monkeypox que continua a disseminar-se pelo mundo. Importa relembrar que sobre este surto houve primeiras reações de teor homofóbico, que levou inclusive à reação tanto das Nações Unidas, como de associações pela defesa dos direitos das pessoas LGBTI+. O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, aconselhou agora homens gays, bissexuais e outros que fazem sexo com homens a reduzir o seu número de parceiros sexuais.

A OMS declarou no passado sábado a doença como uma emergência de saúde pública de preocupação internacional, o nível mais alto de alerta.

Ghebreyesus afirmou que 98% dos casos mundiais de Monkeypox confirmados desde maio estão entre homens que fazem sexo com homens.

“Este é um surto que pode ser interrompido se países, comunidades e indivíduos se informarem, levarem os riscos a sério e tomarem as medidas necessárias para interromper a transmissão e proteger grupos vulneráveis”, apelou Ghebreyesus. “Para homens que fazem sexo com homens, isso inclui, por enquanto, reduzir o seu número de parceiros sexuais, reconsiderar o sexo com novos parceiros e trocar detalhes de contacto com quaisquer novos parceiros para permitir o acompanhamento, se necessário.”

O vírus Monkeypox não é exclusivo dos homens

Importa reforçar que o vírus Monkeypox não é exclusivo dos homens que têm sexo com homens. Também pode infetar e ser disseminado na população geral através do contacto próximo, incluindo o contacto sexual. Em Portugal foi confirmado o primeiro caso neste surto de infeção de uma mulher.

“Além da transmissão através do contacto sexual, a varíola também pode ser transmitida nas famílias através do contacto próximo entre as pessoas, como abraços e beijos, e em toalhas ou roupas de cama contaminadas”, disse o chefe da OMS. Acrescentou ainda que o estigma e a discriminação em torno do vírus só contribuiriam para o surto.

Ghebreyesus recomendou que as pessoas com Monkeypox se isolem e evitem estar em contacto físico próximo com outras pessoas.

Portugal é o nono país do mundo com mais casos acumulados de Monkeypox (588), informou a OMS, alertando que os contágios reportados aumentaram 48% na última semana a nível global.

Recomendações da DGS para o Monkeypox

A Direção-Geral da Saúde passou a publicar um relatório semanal sobre o Monkeypox em Portugal e estas são as suas recomendações de combate ao surto em Portugal:

Exit mobile version
%%footer%%