Polónia: Regiões “livres de LGBT” avaliam risco de perder fundos da União Europeia

Como cerca de uma centena de outros municípios de zonas rurais da Polónia, o conselho local declarou Konskowola, uma pequena cidade do interior e considerada pela própria como livre da chamada “ideologia LGBTI”, está a refletir sobre uma reação contra os direitos das pessoas LGBTI num país conservador e amplamente católico.

Isso levantou suspeitas em Bruxelas, com a Comissão Europeia a sinalizar às autoridades regionais, incluindo Konskowola, que poderá restringir a ajuda da UE a áreas que discriminam com base na orientação sexual.

Radoslaw Gabriel Barzenc, chefe do conselho de Konskowola, mostrou-se irritado com o que considera uma interferência injustificada da Europa liberal nas crenças da cidade:

As restrições podem ser implementadas porque as pessoas têm uma opinião. Não é isso uma discriminação? É disso que se trata a tolerância europeia? Acho que não. Não consigo imaginar que cederíamos à chantagem.

Os direitos das pessoas LGBTI tornaram-se num assunto polémico na Polónia desde que o partido de Lei e Justiça (PiS) chegou ao poder há cinco anos, prometendo defender os valores tradicionais da família.

Na preparação para a eleição presidencial de domingo passado, Andrzej Duda, aliado ao PiS, prometeu garantir que casais homossexuais não fossem capazes de adotar crianças e impedir a educação sobre os direitos das pessoas LGBTI nas escolas públicas.

Duda ganhou um segundo mandato de cinco anos com uma margem de 51% contra um desafiante liberal, em plena polarização na Polónia sobre o papel que os valores religiosos devem desempenhar na vida pública.

PiS e Duda há muito que discordam da Europa quanto à adesão de Varsóvia às normas democráticas e o assunto estava na agenda de uma cimeira da União Europeia, iniciada em Bruxelas na sexta-feira.

Alguns querem congelar pagamentos para países da UE que dizem estar a minar os valores democráticos, como a Polónia, embora o primeiro-ministro húngaro Viktor Orban, um aliado de direita do governo conservador de Varsóvia, tenha ameaçado um veto.

Na véspera da cimeira, Xavier Bettel, o primeiro ministro gay do Luxemburgo, manifestou indignação:

Se aceitarmos a condenação de uma minoria sexual, amanhã será a religião, no dia seguinte será a raça.

Uma organização polaca de direitos humanos solicitou Organismo Europeu de Luta Antifraude que investigue se os fundos da UE desembolsados na Polónia estão a ser utilizados indevidamente por comunidades “livres de LGBT”.

Em Konskowola, no coração conservador da Polónia, cerca de 70% da população votou em Duda, um católico devoto.

A UE não deve retirar os seus fundos“, disse Urszula Nowak, uma aposentada de 76 anos que viveu toda a sua vida na vila. “Isso significaria que a UE era contra a nossa fé. A maioria da população polaca é cristã.

As autoridades de Konskowola dizem que o seu objetivo não é discriminar nenhum indivíduo. Numa declaração de 2019, o conselho disse que se opunha a qualquer atividade pública destinada a “promover a ideologia do movimento LGBT” e declarou que protegeria sua escola e suas famílias de qualquer coisa que contradisse os valores cristãos.

Não permitiremos nenhuma pressão administrativa em apoio ao politicamente correto, justamente chamado de ‘homopropaganda’“, dizia a declaração.


Esta notícia esteve em discussão no Podcast Dar Voz A esQrever 🎙🏳️‍🌈, oiçam:


Mas a dissidência em Konskowola, que tem uma população de 2.000, está a crescer.

O prefeito Stanislaw Golebiowski, que não é membro do conselho local, diz que nunca deveria ter abordado a questão e deveria reconsiderar. Ele quer que o dinheiro da UE modernize os sistemas de irrigação – tornados mais urgentes pela queda dos níveis das águas subterrâneas.

Como milhares de cidades e vilas na Polónia, que aderiu à UE em 2004 e, desde então, receberam cerca de 36 mil milhões de euros em fundos, Konskowola gastou o dinheiro em projetos para melhorar o padrão de vida após os estragos da Segunda Guerra Mundial e das quatro décadas de comunismo.

Honorata Sadurska, 26, veterinária bissexual de Konskowola, acredita que a homofobia está em ascensão:

Aconteceu que fui empurrada no autocarro ou que alguém me gritou algo ofensivo. É por causa da declaração do conselho? Não sei o que aconteceu primeiro, a galinha ou o ovo“.

Mas ela opõe-se a cortes de financiamento para Konskowola, dado que “apenas isolará esses lugares ainda mais.


T5 | Ep.8 – Com Elvio Benatto-Perino: Um beijo para… pajubá, Alice Júnior, Biden e Papa Xico Dar Voz a esQrever: Pluralidade, Diversidade e Inclusão LGBTI 🎙🏳️‍🌈

  1. T5 | Ep.8 – Com Elvio Benatto-Perino: Um beijo para… pajubá, Alice Júnior, Biden e Papa Xico
  2. T5 | Ep.7 – Woman's World: Eleições Norte-Americanas, Resistência na Hungria e Mulher!
  3. T5 | Ep.6 – Não Sei Viver Sem… Redes Sociais, Saúde Mental, Encontros Casuais e Kristen Stewart

O Podcast Dar Voz A esQrever 🎙🏳️‍🌈 está disponível nas seguintes plataformas:

👉 Spotify 👉 Apple Podcasts 👉 Google Podcasts 👉 Pocket Casts 👉 Anchor 👉 SoundCloud 👉 RadioPublic 👉 Overcast 👉 Breaker 👉 Podcast Addict 👉 PodBean 👉 Castbox 👉 Deezer

Se não estivermos ainda disponíveis na vossa app favorita, podem subscrever via 👉 RSS.

A processar… ⏱
Sucesso! 🌈

3 comments

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s